Alarme para Carros

Alarme Clifford para carroComprou um automóvel novo ou quer ter mais segurança no seu automóvel actual e não sabe como o fazer, qual é o primeiro conselho que recebe dos seus conhecidos? Exacto, eles aconselham a instalação de um alarme. Você vai a correr para um electricista da esquina e pede para lhe instalarem um alarme barato, paga e volta para casa tranquilo porque tem o seu automóvel seguro. Ora, você não poderia estar mais errado.

Vamos supor que o seu alarme barato está instalado, provavelmente (com sorte talvez) trás sensores volumétricos e dispara se lhe abrirem as portas ou se detectar movimento dentro do carro. O que acontece se lhe assaltarem o carro? O alarme é capaz de tocar, mas antes de avançar, se você ouvir um alarme tocar vem à janela? Então se você não ouve o alarme do seu carro tocar ninguém vem à janela ver o que se passa, logo o seu investimento está em risco. Mas continuando, como o seu alarme é barato provavelmente não tem uma sirene auto-alimentada e não tem um sensor de abertura do capot, portanto é fácil “limpar” o seu carro sem você dar por isso, basta cortar 1 ou 2 cabos.

Presumo que a maioria dos leitores estão agora a entrar em panico porque não sabem se a sua sirene é auto-alimentada, mas isto é fácil de comprovar, desliguem a bateria do veículo (ou desliguem a sirene) e se ela não tocar já sabem.

Ao que parece isto da segurança nos automóveis não é assim tão linear não é verdade? Então como escolher um bom alarme? Até é bastante simples.

A maioria dos carros novos trazem alarme e imobilizador, muitos deles (se forem de qualidade) trazem um sensor microondas de uma zona (interior do automóvel), que é superior aos sensores volumétricos, principalmente em carros descapotáveis, reduzindo o risco de falsos alarmes. Outra vantagem é que estes módulos já vêm devidamente calibrados para o automóvel que compra, por isso os carros novos já vêm minimamente protegidos. Mas existe melhor? Claro.

Antes de mais escolha um alarme que lhe permita utilizar imobilizadores, ou vulgarmente chamados cortes de corrente. Embora de funcionalidades diferentes, o principio é o mesmo, cortar o acesso à ignição, ao motor de arranque ou à bomba de combustível. Se o seu carro tiver imobilizador de origem melhor, ficará com dois imobilizadores, um só desbloqueado com o código da chave, outro só desbloqueado com o código do alarme. Com este sistema é virtualmente impossível que lhe levem o carro.

Pessoalmente para mim um dos acessórios indispensáveis num alarme é um pager. Estes têm normalmente um alcance de 1500 a 2000 metros em campo aberto a receber sinal (quando se dá o alarme no carro), sendo este alcance reduzido quando existem obstáculos (prédios, arvores, etc). Imagine que está em casa mas com o carro estacionado duas ruas abaixo da sua, não vai ouvir a sirene do seu alarme, mas o pager vai-lhe dar o alerta e informa-o do que se passa, dependendo do modelo, dizendo se é o sensor de choque que dá o sinal, se é o sensor microondas, se lhe abriram uma porta ou até mesmo se o carro está a trabalhar.

E já que falo de sensores, estes são os acessórios indispensáveis. Existem vários tipos de sensores no mercado, cada um com várias utilidades e dependendo do seu alarme poderá ligar vários sensores. Os sensores mais comuns são os volumétricos/ultrasónicos em que o sensor é visivel e normalmente se encontra no topo dos pilares A dos automóveis. Estes sensores são fiaveis, mas podem ser “enganados” facilmente pelo amigo do alheio, claro que por razões de segurança não vou explicar como.

Um sensor que é antigo, mas continua a ser bastante útil, é o sensor de choques. O nome diz tudo, o sensor é preso à carroçaria do carro e sente as vibrações e os choques, dando o alarme. Este sensor, infelizmente, quando mal instalado é frequente dar falsos alarmes, mas isto aplica-se a todos os sensores.

Outro tipo de sensor que começa a ser comum e bastante eficiente é o sensor microondas, que também detecta os movimentos dentro (ou fora) do carro. Este sensor é útil, pois pode ser escondido onde você desejar (preferencialmente no meio do veículo) e devido à sua tecnologia, embora os obstáculos possam reduzir o sinal, ele continua a existir ao contrário dos sensores volumétricos.

Além destes sensores mais comuns existem os sensores de levantamento que são úteis para quem tem umas jantes “apeteciveis”, os sensores infrasónicos que comparam a pressão no interior e no exterior do veículo e os sensores que detectam o som de vidro a partir.

Mas um alarme não se compõe apenas por uma sirene, um comando e um sensor. Apesar de ser mais que suficiente para a maioria dos proprietários de automóveis comuns, um alarme para carros pode receber variados acessórios, sendo o mais conhecido e mais utilizado, principalmente em veículos de luxo, o gps tracking com imobilizador wireless. Imagine controlar a localização do seu carro por GPS e poder desligar a ignição ou a bomba de combustível remotamente. Provavelmente o amigo do alheio pensará que o seu carro avariou e desiste da ideia, até que a sirene começa a tocar e você alerta as autoridades com a localização do carro. Este sistema claro, tem um preço anual para o controle por GPS e, normalmente, o serviço GSM para desligar remotamente o veículo.

E apenas por curiosidade, sabia que existem alarmes que tiram fotografias ao interior do seu veículo e lhe enviam várias fotos para o pager?

Se tiver experiência tente montar você algumas partes do alarme e certifique-se com o seu instalador que todos os cabos são devidamente isolados e não vai conseguir desligar o alarme ao cortar apenas dois cabos ou a dar um pontapé no tablier. Não se esqueça de escolher um local para os sensores de acesso fácil para si para que possa, se necessário, calibrar os mesmos sem recorrer ao seu instalador. A instalação do alarme é dos passos que mais conta para a sua segurança, por isso escolha um instalador certificado, que lhe transmita confiança.

Assegure-se que os seus sensores estão devidamente calibrados, teste num local fechado ou onde não vá deixar o seu carro estacionado se os sensores dão o alarme devido. Para isto desligue a sirene, caso contrário só vai chamar a atenção e chatear os vizinhos, verifique se o alarme dispara pelos piscas (ou pelo pager se tiver um) e certifique-se que não vai ter falsos alarmes. Se quiser testar um sensor de choque dê pancadas nos vidros e nunca na chapa porque esta amolga com facilidade (mais do que pensa).

E para além do alarme, deixo-lhe aqui outras dicas que podem ser úteis:
– Evite utilizar os autocolantes com a marca do seu alarme
– Não deixe objectos à vista ou “mal escondidos”
– Evite dar nas vistas, mesmo na rua onde mora
– Tente estacionar sempre em locais movimentados e com visibilidade
– Leve sempre os objectos de valor consigo e não os deixe no carro

Escape barulhentoLego - 50 AnosFormula E

Comentários a “Alarme para Carros”

Ademir Dambros comentou:
25/12/2005 23:00

Esse produto é muito bom, eu recomendo

Filipe comentou:
11/08/2007 18:32

mudei a pilha ao meu comando e agora nem fecha, nem me activa o alarme..
alguem sabe k me ajudar? aguardo uma rxp se poderem contacte

Eduardo Maio comentou:
11/08/2007 18:37

Qual é a marca do alarme? Tanto pode ser necessário reprogramar o comando como sincronizar o mesmo com a centralina do alarme. Depende da marca e modelo do alarme.

LUIS FIALHO comentou:
10/01/2008 15:30

Venho por este meio pedir um conselho e ajuda,2 semanas atrás entraram no parqueamento comum ao prédio e o meu carro foi brindado em partirem me os vidros á martelada,o que pergunto aqui é se,uma vez que o meu carro têm alarme,estou a pensar montar um pager.Será que o alcance chegará ao 7º andar onde eu moro…??? Respondam me se poderem..ok
Ou indiquem me um bom alarme com pager que não seja muito caro,e onde efectuar a montagem +1 x muito obrigado…

Eduardo Maio comentou:
10/01/2008 15:38

Módulos para adicionar a função de pager não existem, existem sim módulos de localização por GPS que funcionam através de GSM/GPRS mas são mais caros, e estes limitam-se a aceitar sinais exteriores de um alarme já existente.

No meu caso (Easycar) este tem um alcance considerável e numa garagem subterrânea para um 5º andar não tinha comunicação do pager para o carro mas com o alarme a tocar o pager recebia as informações.

Carla Nogueira comentou:
12/05/2008 22:47

Tenho interesse em comprar um alarme Clifford mas ainda não encontrei nenhum local que envie para Portugal. Alguém sabe de algum local e/ou o porquê?

Eduardo Maio comentou:
12/05/2008 23:14

A razão é a mesma que leva a Loja dos Alarmes a “sair de cena”, o mercado nacional é fraco e ninguém investe em segurança automóvel, mas todos se queixam dos assaltos e do carjacking.

E claro que agora o que está na moda é o alarme do chinês a €100 que passado 3 meses já não funciona.

A Clifford já foi representada em Portugal pela Demestre.

Fábio Silva comentou:
21/08/2008 21:17

Caro Eduardo Maio, gostaria de obter mais informações sobre os alarmes que comercializa via e-mail. é possivel?

fabiodanielsilva[at]sapo.pt

Eduardo Maio comentou:
22/08/2008 13:14

Já não comercializo alarmes através da Loja dos Alarmes.

José Fernandes comentou:
29/03/2009 23:05

E para além do alarme, deixo-lhe aqui outras dicas que podem ser úteis:
– Evite utilizar os autocolantes com a marca do seu alarme

Desculpe mas discordo totalmente, um simples autocolante pode desmotivar centenas de assaltantes “rascas” e evitar muitos vidros partidos ou portas estroncadas… Mas isso é a minha opinião…

Eduardo Maio comentou:
02/04/2009 18:27

É um “pau de dois bicos”, se por um lado assusta por outro informa que tipo de alarme está instalado, e alguns dos mais vendidos são bem simples de desarmar.

Sérgio Silva comentou:
16/07/2009 17:51

Gostei muito do artigo de alarme para carros. Tenho que montar um alarme nos meus carros compensa um alarme CAN ou um alarme com o comando de parte?

Eduardo Maio comentou:
16/07/2009 19:50

O alarme pode ser CAN-BUS e ter comando à parte. O comando à parte normalmente serve para dar mais algumas funções que o carro não permite.

Se for activado com a chave da viatura o alarme só pode mesmo trancar o carro, fechar os vidros e activar o modo de panico a partir do sinal da chave. Mas também os alarmes normais não fazem muito mais do que isto.

Vitor Sousa comentou:
25/11/2009 13:17

Boas,

Eu como muitos outros so nos começamos a preocupar em ter um alarme como deve ser depois de ser roubado… para n fugir à regra assaltaram na noite passada partiram o vidro e levaram umas “coisas”.. Eu gostaria de encontrar um alarme que n seja muito dispendioso e complexo apenas que tenha como principal função avisarme a qualquer altura que o meu carro esta a ser roubado.. esteja eu a dormir ou numa festa.e que seja em tempo real para eu ter tempo de apanhar os assaltantes ainda com a “boca no trombone” e o resto..é cmg :p

HAMMER comentou:
23/02/2010 23:48

Na minha opinião o ideal seria colocar um autocolante do alarme, mas não alarme em questão, um alarme diferente do que está a ser utilizado no veiculo.
Assim talvez evita aqueles “ladrões rascas” de assaltar por ver o autocolante, e caso seja algum “ladrão esperto” e que conheça como desactivar o mesmo irá encontrar um alarme completamente diferente : )

Adicionar um comentário

Quer adicionar uma imagem pessoal ao seu comentário? Registe-se gratuitamente em Gravatar

Adicionar comentário

Copyright © 2005 - 2016 Gosto mais de Carros do que Chocolates. Alguns direitos reservados.
gostomaisdecarrosdoquechocolates.com - As opiniões, críticas e pensamentos de um "petrolhead"
Ao navegar neste site está a concordar com os termos legais e de privacidade.