A visualizar apenas posts da categoria Outros

Vendas de carros a gasóleo descem na Europa em 2017

O mercado automóvel europeu está a mudar lentamente e a dieselização começa a inverter-se, até mesmo em Portugal.

Sigla CDI da Mercedes

De 2016 para 2017 a venda de carros novos a gasóleo na europa desceu 7.9%, tendo aumentado o número de vendas de carros a gasolina em 10,9%. Nos combustíveis alternativos a subida foi de 46%, isto de acordo com os últimos dados fornecidos pela JATO.

Em Portugal a quebra é de apenas 3.9%, continuando as vendas de carros a gasóleo a serem as maioritárias, com mais de 60% do mercado, mas em queda.

Ajuda a isto o facto dos carros de segmento A e B estarem a perder oferta de motores a gasóleo, o escândalo das emissões da VW e o aumento (embora ligeiro em Portugal) do preço do gasóleo em relação à gasolina.

Até a PSA, um peso pesado dos motores Diesel na Europa, anunciou que o motor 1.5 BlueHDi vai ser o último desenvolvido pela marca, indicando que vão deixar de investir no gasóleo.

Os consumidores também começam a estar mais informados relativamente aos custos mais elevados de manutenção num carro a gasóleo moderno. Os problemas com injectores, válvulas EGR e o filtro de partículas também começam a ser comuns a quem faz uma utilização meramente citadina ou para percursos curtos mas optou pelo carro a gasóleo pelo baixo custo do combustível. O mesmo se aplica a quem faz poucos quilómetros.

Será positivo em termos de poluição, com uma viragem para motores a gasolina mais eficientes e menos poluentes.

E o teu próximo carro será a gasolina, GPL, eléctrico ou ainda a gasóleo?

O equipamento indispensável num carro

Para muitos um carro basta ter quatro rodas e um volante para os satisfazer, outros se não têm bancos ventilados e com função de massagem não conseguem conduzir.

Claro que estou a exagerar, mas existe sempre aquele equipamento que para nós é essencial num carro, aquele extra que tem que estar presente.

Esta é a minha lista de equipamento que acho indispensável num carro.

Vidros eléctricos automáticos

Comando dos vidros eléctricos
Nem todos os carros com vidros eléctricos têm a opção da abertura e fecho automático. Alguns têm apenas no vidro do condutor ou nos vidros da frente.

Dá imenso jeito para arrefecer o carro no verão, nas entradas dos parques de estacionamento e afins. A diferença é que basta um toque para o vidro abrir ou fechar todo em vez de ficar com o dedo no botão.

Então se existir a opção de abrir ou fechar todos os vidros pela chave / comando ainda melhor.

Bancos e espelhos eléctricos com memória

Bancos com memória
Isto é daquelas coisas que podem achar desnecessário, mas o conforto que é carregar num botão e ter o banco, espelhos e nalguns casos o volante na posição desejada é fantástico.

Principalmente útil quando duas pessoas usam o carro e podem alternar entre a posição de condução sem ter que ajustar o banco e espelhos manualmente. A mesma coisa quando se vai à oficina ou inspecção e mexem no banco.

Espelhos electrocromáticos

Espelhos electrocromáticos
Já o tive apenas no interior e agora em todos os espelhos. Se dantes me queixava de carros atrás com faróis desnivelados, nunca mais tive esse problema.

O espelho escurece automaticamente quando existe mais luz atrás do carro do que no ambiente evitando o encadeamento. Para quem conduz muito durante a noite, especialmente em estradas nacionais e auto-estradas sem iluminação faz uma diferença enorme.

Menos cansaço e mais conforto.

Sensor de chuva

Jaguar à chuva
O grande interesse do sensor de chuva é a regulação automática da velocidade das escovas conforme a intensidade da chuva.

Dá para estar focado na condução e o sensor trata de aumentar ou diminuir a velocidade conforme chove mais ou menos e parar as escovas quando deixa de chover ou quando se entra num túnel.

Sensores ou Câmara de estacionamento

Câmara marcha-atrás
Os carros ultimamente têm cada vez menos visibilidade e por vezes é difícil perceber onde começa e acaba o carro.

Em carros grandes com uma linha de cintura alta por vezes os espelhos não permitem ver totalmente o que está atrás, embora alguns baixem automaticamente o espelho ao fazer marcha-atrás.

Os sensores ou a câmara permitem ter noção de obstáculos na frente ou traseira do carro e a sua proximidade evitando toques acidentais ou acidentes com animais que se possam atravessar durante a manobra.

E tu, qual é o equipamento que não dispensas no teu carro? Partilha nos comentários!

Condutores lentos criam trânsito e aumentam custos com combustíveis

Já se depararam com trânsito infernal em hora de ponta e que de repente começa a andar sem existir nenhum incidente na estrada? A culpa é dos condutores lentos que causam engarrafamentos e provocam o chamado efeito de onda. O resultado? Mais trânsito e maior consumo de combustível.

Trânsito em Lisboa

Num estudo feito em 2013 verificaram que cada lar em França tem um custo adicional de 2200 Eur anuais em combustíveis por causa do trânsito, aqui incluí também acidentes, obras, semáforos e outros incidentes. Uma das principais causas para o trânsito são os condutores lentos.

E o que é um condutor lento? É um condutor que demora mais a entrar numa rotunda ou acesso a uma auto-estrada ou que circula a uma velocidade inferior ao fluxo do trânsito. Inicia-se o efeito de onda em que o condutor de trás reduz a velocidade em 5km/h e assim sucessivamente até que chega ao ponto zero em que um condutor vai parar.

Podemos usar um simulador de trânsito para verificar estas implicações. O simulador em mtreiber.de é perfeito para isso pois permite simular entradas e saídas de uma auto-estrada, cortes de faixa e passagem alternada, ou apenas uma estrada aberta. A qualquer momento podemos criar uma situação em que um condutor circula a uma velocidade mais lenta ou hesita numa mudança de faixa.

Decidi fazer essa simulação para perceber as implicações que um condutor pode ter em termos de custos, tempo e poluição.

Num cenário de acesso a uma auto-estrada, onde circulam cerca de 2500 carros por hora e entram 720 viaturas por hora num acesso o trânsito flui normalmente com todos os carros espaçados entre si e sem qualquer demora.

Simulação de trânsito: Fluído

Colocando 3 condutores que mudaram de faixa ou reduziram consideravelmente a velocidade sem necessidade para isso consegui gerar um efeito de onda que prejudicou o trânsito de tal forma que mesmo após vários minutos e mais tarde reduzindo o número de carros a entrar na auto-estrada para 13 por hora o trânsito continuava compacto.

Simulação de trânsito: Engarrafamento

Bloqueando completamente a entrada de novos carros pelo acesso à auto-estrada o efeito de onda continuava mesmo após vários minutos.

Simulação de trânsito: Efeito onda

Bastaram 3 condutores com uma condução errática, ao demorarem mais tempo a entrar na auto-estrada e a reduzir a velocidade em relação ao fluxo de trânsito para gerar um engarrafamento que na vida real poderia demorar horas a normalizar.

Se olharmos para esta simulação como um dia normal numa auto-estrada em hora de ponta em que existem condutores que não têm uma condução adequada podemos facilmente perceber os custos que estes condutores acarretam na economia. Mais emissões poluentes, aumento de custos com combustíveis e com atrasos para chegar ao trabalho, quebra na produtividade.

Se pensarmos que em média cada carro tem um aumento no consumo de 1 litro e, para facilitar as contas, vamos supor que são todos a gasóleo, temos por hora um gasto adicional superior a 800 Eur em combustíveis para percorrer um curto espaço.

Nós, condutores, podemos atenuar estas situações. Ler o trânsito à nossa frente e em vez de travar tirar o pé do acelerador, facilitar as entradas e saídas nas auto-estradas e evitar mudanças desnecessárias de faixa.

Aconselho vivamente a brincarem um pouco com este simulador que ajuda a perceber o impacto de alguns comportamentos na estrada no estado do trânsito. Saímos todos a ganhar.

Lava faróis, o que são e para que servem

Lava faróis num Saab 99Foi em 1971 que a Saab, no modelo 99, introduziu pela primeira vez no mercado lava faróis.

Para resolver o problema da falta de luminosidade quando os faróis ficavam sujos com neve ou lama foi criado um sistema com uma escova semelhante à dos vidros e um jacto de água para manter os faróis limpos.

Nos anos 80 começou a ser comum muitos Saab e Volvo terem este sistema uma vez que passou a ser obrigatório na Suécia, e até outros fabricantes europeus como a Mercedes, BMW e Jaguar começaram a oferecer lava faróis com escova. Era bastante útil especialmente em países com queda de neve, permitindo limpar o farol e manter a estrada iluminada.

Existiam sistemas bastante complexos, outros semelhantes à escova do pára-brisas, e no caso da BMW com faróis separados, duas escovas que funcionavam alternadamente com o mesmo motor.

No fim dos anos 90 começaram a aparecer outros sistemas onde eram usadas bombas com uma pressão superior de água que pode chegar aos 50 bar, permitindo remover detritos do farol sem necessidade de uma escova. Como os faróis passaram a ser em plástico e não em vidro estas pequenas escovas acabavam por riscar os faróis.

Apareceram ainda sistemas onde a água era aquecida tanto para os faróis como para o pára-brisas.

Mais tarde as saídas de água começaram a ficar escondidas atrás de tampas, dentro do pára-choques, por questões estéticas e aerodinâmicas.

Mas se antigamente apenas alguns carros tinham lava faróis, actualmente com as melhorias na iluminação passou a ser obrigatório o uso deste sistema sempre que um farol tem mais de 2000 lúmen, como é o caso do Xénon e alguns faróis LED.

Aqui deixou de ser problemático o farol ficar tapado, porque com a quantidade de luz gerada continua a existir iluminação suficiente. No entanto, a sujidade pode prejudicar as características ópticas do farol e causar um brilho excessivo que acaba por encadear os condutores que venham em sentido contrário.

Acabam assim por ter uma dupla função sempre com a segurança em mente.

As cores mais marcantes para um automóvel

Uma das escolhas mais importantes e mais difíceis é a cor de um carro. Temos sempre a mesma lenga-lenga que é uma cor que vamos ver todos os dias e as cores fortes cansam depressa. No final, pelo menos em Portugal, acabamos com um parque automóvel demasiado cinzento.

Pessoalmente gosto de cores diferentes e que façam saltar à vista as linhas de um automóvel. Decidi fazer uma lista das cores que mais gosto de ver num carro, e tal como a escolha da cor, não foi fácil chegar a esta lista.

British Racing Green

British Racing Green
Esta é para mim a melhor cor de todos os tempos, especialmente nas versões modernas metalizadas onde é usado um pigmento dourado, que ao sol fica espectacular. Com interiores claros é uma combinação vencedora e fica bem em carros de médio e grande porte.
Qualquer Jaguar ou outro carro britânico fica bem com esta cor.

Verde Miura

Verde Miura
Este é um verde bastante peculiar e tem história. É para mim a cor que melhor assenta no Lamborghini Miura, mas curiosamente nenhum saiu de fábrica com a mesma tonalidade. Quando era preciso uma reparação de pintura alguns mudavam de cor ou eram pintados de novo porque era impossível acertar com a cor.
É uma cor típica da Lamborghini e fica bem noutros modelos mais recentes como o Murcielago ou o Huracán

Rosso Corsa

Rosso Corsa
Hoje em dia quando se fala em carros vermelhos vem logo à cabeça Ferrari. Ainda fiquei indeciso entre o Rosso Corsa e Rosso Scuderia, mas acabei por escolher o Corsa por ser uma cor mais clássica.
É a cor mais comum num Ferrari

Lava Orange

Lava Orange
Um Koenigsegg é sempre um carro especial, mas quando foi apresentado o Koenigsegg CCR aquele laranja vivo tornou-o ainda mais especial. Existem cores semelhantes noutras marcas, desde Ford a Porsche, mas é no CCR que esta cor mais se destaca.

Nogaro Blau

Norago Blau
Quem não se lembra da fantástica Audi RS2 e da sua cor azul mítica? Com uma tonalidade muito própria fica bem em carros de médio e grande porte e ao sol tem uns reflexos fantásticos, oscilando entre o azul e o roxo.
Uma carrinha RS4 ou RS6 com esta cor fica divinal.

Estoril Blau

Estoril Blau
Adoro carros azuis, e este azul da BMW com aquela tonalidade mais clara é fantástico. Nem que fosse pelo nome de Estoril, é uma cor que realça as linhas do carro.
Fica bem no Série 3 e 4 e carros de tamanho médio

Zonda Tricolore

Tricolore
Este não é bem uma cor, mas mais um verniz com um toque azulado que por cima do carbono fazem este efeito espectacular que se pode ver no Pagani Zonda Tricolore, uma edição especial. Este efeito já vai sendo visto noutros carros da Bugatti e Koenigsegg.
Foi feito em tributo à Frecce Tricolori cujos aviões são azuis e têm a lista com as três cores da bandeira italiana.

E tu, qual é a tua cor preferida que gostas de ver num carro? Partilha nos comentários!

Acidente fatal num Tesla em modo autónomo

Ocorreu o primeiro acidente fatal com um carro com funcionalidade de condução autónoma. Um Tesla Model S que tem esta funcionalidade em Beta.

Beta no mundo da programação é quando um produto ou funcionalidade ainda não está devidamente testado. Isto não tem grande problema quando se trata de um cliente de email ou um website, mas num sistema de condução autónoma não faz grande sentido.

Função Autopilot no Tesla Model S

Sempre fui contra o modo de trabalho da Tesla e arrepia-me a ideia de empresas como a Apple e Google estarem a testar a criação de automóveis. Desde funções criticas serem controladas por touch screen a tratarem um carro como um PC ou telemóvel em que podem colocar funções para teste, é algo que não faz qualquer sentido.

É impossível imaginar algo desde género a acontecer numa Volvo ou Mercedes, empresas que estão a investir bastante nesta tecnologia e que estão anos e anos em testes para garantir que nada de errado possa acontecer.

No caso deste acidente levanta-se a questão, de quem é a culpa? Do condutor que não estava a controlar o seu veículo, ou do fabricante que desenvolveu software para que o veículo se controle de forma autónoma e que falhou?

São conhecidos os vídeos em que este sistema se baralha, mas também os quase acidentes que o sistema evita. O senhor que faleceu tem ele próprio um vídeo desses.

Neste caso e de acordo com a Tesla nem o sistema nem o condutor repararam na galera de um camião, branca, porque o céu estava com uma cor muito clara, então não foi aplicado o travão de forma autónoma levando ao acidente fatal.

Isto vai também atrasar a colocação no mercado deste sistema, especialmente em solo europeu, mas ficamos todos a ganhar com mais segurança e testes aprofundados sobre estes sistemas. E é bom que fique por aqui as funcionalidades Beta em automóveis, não se vão lembrar de outras funcionalidades como um novo modo de ABS ou ESP em Beta que poderá falhar.

A 2ª Circular vai ser a nova Feira Popular

Quais os requerimentos para ser vereador do trânsito e transportes em Lisboa? Será que quando colocam o anúncio indicam como factor eliminatório não perceber patavina de trânsito e transportes? É que pelas ideias que estes senhores e senhoras colocam em prática, só pode ser!

Primeiro colocam portagens na CREL porque o trânsito que circula entre os concelhos Loures e Sintra fica bem é a passar no meio da cidade. Depois fazem o prolongamento do Eixo Norte-Sul como grande alternativa à 2ª Circular. É bom para quem precisa de ir para Almada ou Seixal e vem da zona da CRIL, ou para ir ver os jogos do Benfica. Para todos os outros não serve muito.

Depois fazem obras que não lembram a ninguém. Na Av. Infante Dom Henrique decidem abolir a faixa BUS que tanta falta faz a quem usa os transportes públicos e fazem uma ciclovia. A melhor parte? A ciclovia está às moscas durante a semana e é mais fácil ver “ciclistas” a usar a estrada em vez da ciclovia.

Na 2ª Circular entopem o trânsito com uma obra megalómana para criar uma ponte pedonal e ciclovia. O resultado? trânsito caótico durante as obras, perda de lugares de estacionamento nas imediações da ponte e claro, a ponte às moscas porque quase ninguém anda ali a pé ou de bicicleta. Bom, se calhar deve dar jeito no Carnaval para atirar balões de água ao trânsito que está parado cá em baixo.

No Marquês de Pombal fazem uma rotunda dentro de outra rotunda, cortam vários acessos ao túnel do Marquês que, espantem-se, desviava imenso trânsito da zona das Amoreiras, e no fim esquecem-se do escoamento de águas e lá se fez uma piscina no meio da cidade assim que choveu. Concorrência à “praia” do Torel?

Proposta de alteração da 2ª Circular

A 2ª Circular como avenida

A nova ideia fantástica é transformar a 2ª Circular numa avenida! Vão aumentar o separador central para plantar árvores, reduzindo a largura das faixas de rodagem. A faixa da direita passa a ter um pavimento diferente e a ideia é servir apenas as entradas e saídas da 2ª Circular. Ah, e a velocidade máxima passa de 80 para 60km/h, ganha um passeio (sim, para peões) e radares de velocidade ao que parece.

Já perceberam a ideia da treta? Portanto, vamos empurrar todo o trânsito para a 2ª Circular porque não existe mais nenhuma via rápida de acesso à cidade, e agora vamos fazer um jardim porque é bonito. Quase todas as avenidas de entrada e saída da cidade escoam o trânsito para a 2ª Circular, que entope. Existem entradas e saídas quase de 100 em 100 metros (exagerando, claro) e até paragens de autocarro lá existem!

Vamos lá analisar o porquê de estas ideias serem terríveis para o trânsito em Lisboa.

Reduzir a largura das faixas
Isto é das piores coisas que se pode fazer. Um bom exemplo é a Av. Santos e Castro que faz as traseiras do Aeroporto. Tem 3 faixas, não muito largas, e tanto de um lado como do outro não existem bermas e a faixa acaba com um passeio que deve ter 30 ou 40 cm de altura, assim como o separador central. O que é que acontece aqui? Tudo a circular pela faixa do meio ou fazem-se duas faixas apenas, um ocupa metade de duas, outro ocupa outra metade e já se circula bem. E isto uma avenida com tráfego de pesados para abastecer o aeroporto de combustível.

Já estão a imaginar o filme na 2ª Circular? Autocarros e pesados mais carrinhas de distribuição lado a lado e é preciso circular com os espelhos recolhidos. Vão aumentar os toques com os condutores distraídos ou inexperientes e depois um acidente em Benfica faz trânsito até Alverca.

E eu sou a favor de árvores para capturar o CO2 dos automóveis, mas como vai ser a limpeza das bermas no Outono? Esta estrada já tem má drenagem, com folhas a tapar sarjetas como será?

Faixa da direita para entrar e sair
Esta é uma ideia tola. Os acessos de entrada e saída são maus, em vez de serem reabilitados reduz-se uma faixa para fazer de via de aceleração / saída para entrar e sair da 2ª Circular. A confusão que já existe na faixa da direita do trânsito que entra e sai vai passar para a actual faixa do meio.

Vamos ter novamente mais trânsito porque o tráfego em vez de fluir livremente em duas faixas passa a fluir apenas numa.

Redução da velocidade máxima para 60km/h
É verdade que a velocidade média da 2ª Circular deve ser bem inferior a 60km/h em hora de ponta, afinal de contas está muitas vezes o trânsito parado. Mas quando circula pode-se andar a 80, tirando no radar ao pé do McDonalds / Repsol onde ainda se faz mais trânsito porque os condutores reduzem de 80 para 60 com medo de serem multados.

Um passeio para peões
Quem é que no seu perfeito juízo alguma vez olhou para a 2ª Circular e pensou “Agora dava jeito ir a pé do Colombo ao Campo Grande por aqui”? Alguém deve ter tido esta ideia porque é o que vai ser feito em quase toda a sua extensão, e pelos esboços dá ideia que querem adicionar paragens de autocarro, ou pelo menos vão manter as existentes.

Trânsito na 2ª Circular

Os problemas da 2ª Circular

Só quem não anda lá é que não percebe que aquela estrada está mal projectada e não tem manutenção decente. De noite faltam candeeiros, alguns em acessos perigosos. O alcatrão está uma miséria com buracos enormes, já perdi a conta a reparações por causa dos buracos nas entradas e saídas. Direcção desalinhada é uma festa, em dois carros diferentes duas jantes empenadas, casquilhos e afins.

Existem acessos que têm um ângulo tão fechado e uma drenagem tão má que é comum ver carros a terem despistes a menos de 40km/h quando chove.

Existem acessos que têm entradas que vão dar a saídas da 2ª Circular que entopem completamente o trânsito. Algumas nem faixa de aceleração têm e é preciso parar para entrar na 2ª Circular. No fim desta, na Encarnação, existem acessos que estão a 90º da 2ª Circular. Nem se podem chamar acessos, são autênticos cruzamentos.

Repavimentar a 2ª Circular e tratar da sua drenagem vai reduzir grande parte dos acidentes. A reformulação ou o fecho de alguns acessos (alguns deles planeados nesta intervenção, e bem) vai reduzir o problema do tráfego em alguns pontos críticos, mas este tráfego vai precisar de alternativas e elas não existem.

ACA-M e ACP de acordo contra alterações

A ACA-M infelizmente nem sempre prima por boas ideias, mas até eles concordam que algumas das alterações propostas não fazem sentido. O ACP também está contra porque estas medidas vão piorar o escoamento do tráfego e não trazem nenhuma mais valia à cidade.

A ACA-M levanta também a questão das vias circundantes à 2ª Circular que irão aumentar o seu tráfego. Actualmente a 2ª Circular já não consegue escoar eficientemente todo o tráfego, com estas alterações o trânsito na cidade ficará caótico. O resultado é mais ruído e mais poluição.

Projecto em avaliação

É possível consultar o projecto no site da CML e até enviar um email com sugestões, ideias ou apenas mostrar o desagrado pelas alterações que vão ser feitas.

A minha ideia parva para a 2ª Circular

Com tanta ideia parva, eu tive algumas ideias que fazem mais sentido. Que tal reduzir ainda mais faixas na 2ª Circular, deixar só uma e fazer no separador central a nova Feira Popular? Uma montanha-russa, a casa do terror, os restaurantes e o cheiro a farturas e sardinha assada em vez do cheiro a gasóleo mal queimado?

E com os engarrafamentos que vamos ter podiam ser lançados novos serviços. Buzinamos duas vezes e trazem uma fartura à janela, buzinamos três vezes e vem uma dose de sardinha assada.

E para os pais de família ainda melhor, querem levar os miúdos no dia da criança, deixam-nos sair no início da 2ª Circular e quando chegarem ao final do engarrafamento, já no fim do dia, o carro está pronto para sair para o Eixo N/S e os miúdos tiveram tempo de andar em todas as atracções.

Copyright © 2005 - 2018 Gosto mais de Carros do que Chocolates. Alguns direitos reservados.
gostomaisdecarrosdoquechocolates.com - As opiniões, críticas e pensamentos de um "petrolhead"
Ao navegar neste site está a concordar com os termos legais e de privacidade.