Fátima e os peregrinos na estrada

Publicado a por Eduardo

Peregrinos a caminho de FátimaTodos os anos por esta altura as estradas, aquelas vias para circularem viaturas, são invadidas por pessoas a pé sem qualquer cuidado com a sua segurança. São peregrinos que vão para Fátima.

Sempre me irritou o comportamento destas pessoas, totalmente alheio às viaturas que ali circulam, pondo-se em risco eles e os restantes utentes daquela via.

Este fim-de-semana ocorreu um atropelamento mortal perto da Sertã na EN238 às 02:40. Achei curioso certos comentários que culpam o automobilista por circular numa via sem iluminação, de madrugada, onde o limite de velocidade é de 90km/h e não existem bermas!

Melhor ainda foi uma reportagem na RTP onde entrevistaram uns peregrinos que decidiram parar numa berma mesmo no final de uma supressão de via, que é um local extremamente perigoso, com carros atravessados para comer!

Quando confrontados com a situação respondem que normalmente param numa estação de serviço mais à frente, mas como tinham sede e uma coisa leva à outra decidiram ali comer! Mas o melhor estava para vir, naquela situação de perigo ainda vieram mandar bitaites para a TV a falar de segurança. Aqueles conselhos fizeram tanto sentido como um piromaníaco a falar de prevenção de incêndios.

Filmaram ainda vários peregrinos a caminhar com 3 e 4 pessoas lado a lado, sem coletes e no meio da faixa de rodagem.

As estradas servem para os carros circularem, para fazerem peregrinações até Fátima a pé existem caminhos devidamente indicados como o Caminho do Tejo ou o Caminho de Santiago, que além de mais seguros são mais saudáveis.

Seria útil as autoridades promoverem estes caminhos e ensinar a certos peregrinos que não são automóveis, é que até em vias com passeios os vejo a circular pela estrada!

Artigos relacionados

Condutores lentos criam trânsito e aumentam custos com combustíveis
Condutores lentos criam trânsito e aumentam custos com combustíveis
Condutores indecisos em mudar de faixa ou que circulam a uma velocidade muito inferior ao restante trânsito causam engarrafamentos e efeito onda, aumentando os custos com combustíveis.
Aumentem o combustível à vontade!
Aumentem o combustível à vontade!
Se o meu nome fosse José Sócrates, Mário Lino ou Teixeira dos Santos fazia um comunicado aos portugueses para informar que o ISP ia...
Será a A8 a pior auto-estrada de Portugal?
Será a A8 a pior auto-estrada de Portugal?
Se existisse um concurso para a pior auto-estrada de Portugal estou certo que a A8 ganharia com maioria absoluta. Aliás, se fizessem uma...

Comentários

Paty
Paty
02/05/2010 16:48
Mas estas situações acontecem no nosso dia a dia , as pessoas atravessam-se no meio da estrada (sem sequer olhar!) e vão ali , como se fossem a desfilar. E para eles parece que a nossa obrigação é parar.
E também acontece muito é terem um passeio enorme e irem no meio da estrada, em vez de irem pelo passeio, será que sabem para que serve o passeio?

É de lamentar tanta informação que hoje em dia temos para as pessoas nem sequer ligarem aos avisos, principalmente em estradas em que os carros não andam propriamente devagar.


Beijo ;)
André Gomes
André Gomes
03/05/2010 00:03
Boas,

Antes de mais, gostava de felicitar o autor por um blog de qualidade, que com muito gosto venho frequentemente espreitar.

Sobre o tema, concordo com a opinião do mesmo, aliás, constatação de factos, e penso que seria importante que os peões, neste caso específico, peregrinos, tivessem noção de que na eventualidade de um sinistro com um automóvel, quase certamente eles serem os principais lesados, devendo por isso, tomar medidas de segurança adequadas.

Percorro semanalmente uma estrada nacional muito percorrida por peregrinos a partir desta época até finais do verão, em peregrinação ao S. Bentinho, Gerês. É uma estrada já de si estreita e sinuosa e já por várias ocasiões fui surpreendido à saída de algumas curvas com peregrinos literalmente no meio da estrada. Em resposta a sinalização com sinais de máximos, já levei com fracas respostas, gestos menos correctos e inclusive ameaças relativamente ao automóvel.

Estas atitudes fazem-me pensar na verdadeira fé destes "peregrinos", para quem a peregrinação mais parece uma paródia, com conversas em alto tom de voz, por vezes berros, acordando e incomodando as pessoas por onde passam.

Em defesa dos peregrinos, tenho também que referir que já vi grupos muito bem organizados, a caminharem em fila indiana, pela direita, usando colectes reflectores e recorrendo a lanternas de sinalização no primeiro e último elementos da fila. Seria desejável que mais pessoas seguissem esse exemplo.

Cumprimentos.
luis matias
luis matias
29/05/2010 20:00
boas, relativamente aos peregrinos,finjo que nao estão lá, "Deus" que os proteja como nao sou esse "Deus", nao penso muito no assunto e tenho a minha conduções perfeitamente normal...
Inflizmente isto é falta de civismo, os peões esquecem-se que a estrada é dos carros, e mesmo nas passadeiras teem a mania que se podem meter a vontade.. isto nao é verdade! existem leis e cauções para andar na rua! por exemplo:
- antes de entre numa passadeira, olhar e prevenir embaraço no transito.
- se existir uma fila considerável de automoveis, por causa de poões a passar a passadeira, estes podem perder a proridade.
épa e muitas mais que nao tenho tempo para escrever agora...

eu custumo dizer que a estrada é dos carro, os passeios das pessoas, por isso inssisto em nem sequer parar o carro no passeio...
talves um dia em que se comece a aplicar a lei as coisas mudem... até la vai ficar tudo na mesma...
Mário
Mário
09/05/2011 00:03
É com agrado que verifico que não sou o unico condutor a sofrer e a indignar-me com a situação. Os peregrinos podem ter as suas crenças, agora tenham cuidado, civismo, inteligência e bom senso. Lá porque vão a rezar e em peregrinação não têm o direito de ir no meio da estrada, lado a lado e com a plena convicção que os carros têm que se afastar ou parar para estes atravessarem onde lhes apetece (ainda agora levam coletes e lanternas à noite, já houve alturas que era pior). Se forem atropelados ou chamados à razão ainda ficam bravos porque eles é que estão bem. É preciso mudar mentalidades neste país. Isso e agora também parece que se se tiver um papel a dizer APOIO AO PEREGRINO colado no carro têm-se imunidade para parar onde calhar, andar a 20km/h, inverter a marcha onde dá mais jeito e por ai... enfim... proponho que sejam enviados email a reportar a situação a rádios, televisões e porque não autoridades...

Adicionar comentário

Obrigado, o seu comentário encontra-se a aguardar aprovação. Receberá um email quando este for publicado
Existem erros no formulário, por favor reveja os campos assinalados.
O seu email apenas é usado para controlo de Spam e apresentar a sua imagem personalizada através do serviço Gravatar