Legalizar um kit xénon em Portugal

Uma das perguntas mais comuns nos comentários do artigo sobre os kits xénon é como se pode meter xénon de forma legal. A resposta rápida é que não se pode, se não vier de origem.

Acredito que muitos parem de ler aqui e passem para os comentários a reclamar ou a contar que um amigo de um primo da porteira do prédio do patrão disse que era possível. Mas não é.

Bentley Continental GTC com Xénon

Um automóvel é uma peça de engenharia complexa, convive diariamente com peões e outros condutores e cruza-se com carros de outras formas e tamanhos. Para que exista uma certa harmonia na estrada é necessário que estes obedeçam a regras especificas.

Existem regras mais preto no branco, como os níveis de ruído, emissões (sim, até os Volkswagen), cor das lâmpadas e número de faróis e reflectores. Depois dentro de algumas destas regras elementares existem regras mais especificas, por exemplo um carro tem que estar equipado com pneus e não com lagartas ou jantes maciças de ferro como um comboio para poder circular na estrada. Isto não quer dizer que basta qualquer tipo de pneu, este tem que obedecer à carga a que está sujeito, índice de velocidade e depois existem outras questões como os litros de água que o pneu consegue dispersar, o aumento ou redução no consumo de combustível, entre outros factores. Acho que conseguem perceber que um automóvel é algo bastante complexo e estudado.

Vamos ao que interessa, porque é que o Xénon não é legal?

Um carro para ter faróis com lâmpadas de xénon (ou outras formas de iluminação que passem os 2000 lúmen) tem que obedecer a algumas regras. As ópticas devem estar preparadas para este nível de iluminação, devem existir lava-faróis e niveladores automáticos de faróis.

Isto é o básico, e porque razão são necessários estes mecanismos? Os lava-faróis porque com sujidade a luz dispersa-se bastante levando ao encadeamento de quem vem em sentido contrário, e os niveladores automáticos porque alguém descobriu que os condutores não sabem regular os faróis quando circulam com carga (alguns nem sabem que tal é possível) e lá está, levar com mais de 2000 lúmen nos olhos de frente à noite não é nada meigo, nem quando circulam à nossa retaguarda.

Mas lá está, isto é o básico. Ainda é preciso ter em consideração a localização dos balastros e onde passam os cabos de alimentação, até porque não será nada agradável num atropelamento ou num acidente ficar com um cabo a tocar na chapa do carro com uma voltagem elevada.

É verdade que na Europa somos bastante exigentes com as regras em relação a alterações nos automóveis, e nos Estados Unidos não levantam problemas e no Brasil até é possível legalizar xénon com uma inspecção.

E não pode vir a ser possível por cá, como passou a ser com as películas ou com os kits de GPL de injecção liquida, perguntam vocês.

Temos que ver em que carros é que se pretende instalar xénon, normalmente são carros antigos. Actualmente os carros de segmentos superiores já nem trazem xénon e passam a usar LED ou lasers e a grande maioria dos automóveis novos permitem como opção a instalação de xénon ou já o trazem de origem. Sem um grande grupo por detrás dos kits xénon nunca vão existir interesses em que se altere a legislação para ultrapassar este problema.

Então qual a solução?

Primeiro é preciso saber qual o problema. Infelizmente a maioria daqueles que procuram um kit xénon não quer iluminar melhor a estrada, mas está à procura de ter luzes azuis no carro, até porque os kits mais vendidos têm lâmpadas 6000ºK em vez dos tradicionais 4300ºK.

Para esses não existe solução, já os condutores mais conscienciosos e que pretendem melhorar a visibilidade à noite ou em situações de fraca visibilidade como chuva ou nevoeiro têm soluções.

Audi R8 com lâmpadas Philips WhiteVision

Vejam a foto acima, o Audi TT branco tem xénon? A estrada está bem iluminada em comparação com os carros que circulam atrás, portanto deve ter certo? Errado!

São lâmpadas Philips WhiteVision, que vieram substituir as BlueVision que usei bastante nos meus carros anteriores que tinham lâmpadas de halogéneo. A cor era mais branca que as lâmpadas convencionais e iluminavam melhor a estrada de noite e em situações de chuva. Nevoeiro não tanto, mas aqui o xénon tem o mesmo problema, quanto mais branca for uma lâmpada pior é a sua eficácia com nevoeiro.

Estas lâmpadas são legais, é tirar a antiga e meter uma nova, sem qualquer alteração necessária. Assim como a Philips, a Osram também as tem.

Se pretendem circular legais esta é a solução, com um kit xénon vão encadear os outros condutores e circular sujeitos a multas e chumbo nas inspecções. E sinceramente, se não se preocupam com os outros condutores na estrada para terem o carro com umas luzes azuis todas tuning então é merecido serem multados e obrigados a fazer uma inspecção tipo B depois de remover o kit.

Servidores Dell PowerEdge 1950Sistema Provida 2000Mais Gasolina

Comentários a “Legalizar um kit xénon em Portugal”

DavidOff comentou:
28/12/2015 17:25

Que belo artigo, agora já percebi! Vou ver quanto custam essas Philips WhiteVision!

p.s. faz falta uma opção de subscrever comentários, assim saberia se alguém responder a este meu comentário!

Eduardo comentou:
28/12/2015 22:00

DavidOff eu costumo comprar lâmpadas na PowerBulbs, o preço lá indicado é de 40 Eur o par já com portes mas conseguem-se sempre cupões de desconto.

Estão agora com o cupão NEWYEAR25 com 25% de desconto.

Cá por Portugal não faço ideia de preços.

Ricardo comentou:
22/04/2016 20:19

E ficamos sem saber como se legalizar o xenon?! É possivel legalizá-lo no imtt.
Entretanto aconselho a estudar um pouco e ver que o led, sozinho, não consegue igualar o xenon (usam led com laser)
Já vi que é contra o xenon mas o xenon que vem de origem é a melhor luz que está no mercado, basta investigar um pouco e tentar ser mais imparcial.

Eduardo comentou:
03/05/2016 10:25

Ricardo pode legalizar no IMTT de que forma? Vai ter um engenheiro ou a própria marca a passar um certificado e a responsabilizar-se pela alteração? E os custos envolvidos?

Se conhece um caso de sucesso de legalização de xénon num carro que não o trás de origem, partilhe aqui os passos para o fazer. É que pelo seu comentário também fiquei sem saber como legalizar o xénon.

Eu não sou contra xénon, o meu carro tem bi-xénon de origem e é muito melhor que as lâmpadas de halogéneo. Sou contra a instalação de kits aftermarket em carros que não estão preparados para xénon.

Aproveito para o elucidar, existe iluminação LED (apenas LED) e iluminação Laser. A iluminação Laser é algo experimental porque é caro e como deve saber não se pode apontar um feixo de laser directamente aos outros condutores porque cega. São usados espelhos e reflectores e uma lente com gás fósforo que emite uma luz brilhante quando recebe a energia dos lasers.

Na iluminação por laser existe sim apoio de LED porque esta iluminação apenas é usada nos máximos.

Espero que lhe tenha sido útil este esclarecimento.

Miguel comentou:
24/10/2016 13:16

Os carros que trazem bi xenon de origem tem de vir a dizer no livrete que tem xenon ?

Eduardo comentou:
02/11/2016 00:58

Miguel não, nem os que têm xénon normal. O meu carro tem bi-xénon e não tem qualquer menção a isso no livrete, essa informação está sim presente na ficha de homologação do veículo.

Carlos comentou:
04/11/2016 11:33

o dono do blog está errado!!! existem carros sem lavafarois e que tem xenon de fabrica!!!

André comentou:
07/11/2016 14:46

Eu comprei as nightbreaker que são as melhores lampadas h7 do mercado e mesmo assim não se acomparam ao xenon do carro da minha namorada.
Essa imagem do audi tt diz tudo. Tem muita iluminação num sitio e pouco noutra.

Eduardo comentou:
15/11/2016 22:58

Carlos consegue dar-me um exemplo de um modelo à venda em Portugal?

Adicionar um comentário

Quer adicionar uma imagem pessoal ao seu comentário? Registe-se gratuitamente em Gravatar

Adicionar comentário

Copyright © 2005 - 2016 Gosto mais de Carros do que Chocolates. Alguns direitos reservados.
gostomaisdecarrosdoquechocolates.com - As opiniões, críticas e pensamentos de um "petrolhead"
Ao navegar neste site está a concordar com os termos legais e de privacidade.