Os transportes públicos e o dia sem carros

Publicado a por Eduardo

Transportes PúblicosDurante anos fui utilizador dos transportes públicos. Tive sempre que organizar a minha vida aos horários destes, andar aos encontrões, empurrar e ser empurrado e andar em pé estilo lata de sardinhas, isto quando não ficava em terra porque simplesmente não cabia mais ninguém. E aqui nunca se tinha falado sequer num dia sem carros.

Existe um grupo que defende a pés juntos (mesmo para partir as canelas) que os carros nas cidades são uma obra do demónio e quem tem o descaramento de levar o carro para a cidade deve levar com uma tarte de natas na cara. Ora, eu concordo que os carros na cidade são uma fonte de ruído e poluição, mas infelizmente são um mal necessário e não existe uma alternativa viável para todos.

Andar de bicicleta é para esquecer e é uma ideia que tem de ser defendida por quem trabalha de t-shirt e calções ou toma banho sempre que chega ao trabalho. Esqueçam lá a Holanda, quero-os ver a fazer Lisboa, Porto ou Coimbra de bicicleta e a chegarem apresentáveis ao trabalho sem estarem a transpirar que nem uns cavalos.

Então sobra outra alternativa, os transportes públicos. Mas não existem em todo o lado, continuam alguns a ser barulhentos e poluentes, têm horários totalmente desenquadrados das necessidades da população, não têm capacidade para todos os utentes em hora de ponta, não são confortáveis e com as recentes ondas de assaltos são tudo menos seguros.

Sem falar que chega a ser mais barato levar o carro e que, em alguns percursos, de automóvel se poupam cerca de 40 min no trajecto. Outros nem acesso a transportes têm, mas continuam a necessitar de se deslocar para trabalhar nas cidades.

Se calhar, antes de começar com um dia sem carros deveriamos começar com um dia do transporte público, não para promover a sua utilização mas o melhoramento das suas infraestruturas. Quando tivermos um sistema de transportes públicos adequado ao número de utentes actuais e com capacidade de aumento, com horários devidamente espaçados e com condições mínimas para circular podemos então em pensar em começar a converter os actuais utilizadores do seu carro para ir trabalhar para a utilização dos transportes públicos.

É que actualmente cada vez mais vejo o contrário, pessoas a optarem por carros económicos e pequenos para pouparem dinheiro na sua deslocação para o emprego (em vez do passe social) e de uma forma mais rápida e cómoda.

Artigos relacionados

António Costa, não percebes nada disto pá!
António Costa, não percebes nada disto pá!
Presidente da Câmara de Lisboa quer criar uma sobretaxa sobre combustíveis para financiar os transportes públicos e reduzir a utilização do carro na cidade.
Limitação à circulação em Lisboa não faz sentido
Limitação à circulação em Lisboa não faz sentido
Actualmente em Lisboa quem tenha um carro anterior a 1996 não pode circular na Av. da Liberdade e na Baixa (Zona 1) e se o carro for...
Os carros a gasolina e gasóleo não vão desaparecer
Os carros a gasolina e gasóleo não vão desaparecer
Ao contrário do que os governantes europeus querem, deixar de ter carros a gasolina e gasóleo nos próximos 20 anos é uma utopia.

Comentários

Ricardo Pinheiro
Ricardo Pinheiro
30/09/2009 13:02
Gostei do texto. Como trabalho em Lisboa encomendei uma mota 125cc para me deslocar até ao metro que é bem mais rapido.
Jardel
04/11/2009 00:04
Aqui por Braga tenho visto cada vez mais autocarros importados, não sei se nas outras cidades também acontece, mas o pior é que têm matriculas com F ou G ou H no meio e são dos anos 80... Acho que todos os carros juntos de braga, poluem menos que esses autocarros.

Obrigado.

Adicionar comentário

Obrigado, o seu comentário encontra-se a aguardar aprovação. Receberá um email quando este for publicado
Existem erros no formulário, por favor reveja os campos assinalados.
O seu email apenas é usado para controlo de Spam e apresentar a sua imagem personalizada através do serviço Gravatar