Fifth Gear (Episódio 2, Série 8)

BMW M5 vs Williams-BMW F1Mais um grande programa da equipa do Fifth Gear! Antes de mais algo que sempre me passou despercibo, os postes de iluminação e os postes que seguram os sinais. Já imaginaram um choque contra esses colossos de betão ou ferro?

Uma empresa, que já fabricou postes que absorvem a energia cinética, moldando-se ao carro sem colocar os condutores em perigo desenvolveu um sistema semelhante para os postes com os sinais de informação. No teste que efectuaram as coisas não correram como deviam, no entanto os resultados foram obvios e o condutor não sofreu um único arranhão!

Falaram também do novo híbrido da Lexus (Toyota), deram uma voltinha com o novo Pagani Zonda F (F de Fangio) e fizeram um teste entre o Evo IX e o Evo VI, sendo o VI mais rápido e o IX mais divertido (sideways baby!).

O melhor de tudo foi a pequena brincadeira ao comparar um BMW M5 contra um carro de F1 da Williams-BMW. Valeu a pena!

Volvo T6 Roadster

Volvo T6 RoadsterBom, não é um carro da Volvo mas sim o trabalho de um antigo empregado da Volvo, Leif Tufvesson, que construiu esta espécie de roadster/hot rod com recurso a peças da Volvo (e não só).

Infelizmente o design é muito semelhante ao fracasso que foi o Plymouth Prowler, mas ao contrário do Plymouth este carro tem muita qualidade!

Este carro está exposto da SEMA no espaço de exposição da Volvo. Podem ler um artigo e aceder a mais fotos no site Swedespeed.

Xuning lá fora…

Eu pensava que os carros azeiteiros/xuning eram uma perola nacional. Enquanto passeava pelo site Wikipedia encontrei a definição de Import Scene e os esteriotipos negativos, que claro está, tanto se aplica em Portugal. E meus amigos, escreve-se tuning e não “tunning”.

Por lá a moda também é a mesma, carros da tanga com leds azuis nos “mijas” que atrofiam a vista de quem vem em sentido contrário, panelas que fazem muito barulho num Uno 45s, tampões cromados e claro, os tipicos farois traseiros tipo Altezza/Lexus IS. Vejam só!

Another new breed of import racer formed over the turn of the century called the “ricer”. This is a person that has a bad sense of autofashion. They usually have a slow car (without any suspension modificaton or engine tuning) and make failed attempts to make it look nice with Altezza-style tail lights, neon lights, stickers, windshield squirter lights, chrome rims, large wing, spray painted interior, etc. The general public relates these ricers with real import racers that actually know what’s going on, and this gives a bad reputation to the import scene.

O pior disto tudo é que estes gajos ainda têm credito pela asneira que fazem nos carros! Um bocadinho de cultura e bom gosto não custa nada e só vos fica bem!

Best of Top Gear

Top GearSempre que acaba uma série do Top Gear é-nos oferecido um programa Best of Top Gear. Uma hora de programa com os melhores momentos da série. Pergunto eu, não seria melhor em vez de sermos obrigados a ver os carros e as “vedetas” que já lá passaram, sei lá, 40 minutos de programa e os restantes 10 ou 15 com os melhores momentos da série?

Se querem mostrar mesmo os melhores momentos por completo lancem um DVD! Pelo menos o Clarkson costuma aproveitar algumas reportagens feitas no Top Gear para os seus DVD’s.

Mazda Sassou

Mazda SassouCada vez mais me arrependo de conduzir um Peugeot 106 como primeiro carro. Apesar de ser um pequeno desportivo e curvar bem como tudo resume-se a um carro velho, sem qualquer tipo de atributo que me faça sentir bem dentro dele (com o aparte dos bancos em pele, do motor e das modificações), que me faça sentir evoluido, que me coloque no século XXI!

Pois bem, tudo isto se agrava quando vejo concepts, principalmente este, o Mazda Sassou, que foi feito a pensar nos recém-encartados para ser usado como primeiro carro. Além do design fenomenal, dou enorme destaque às luzes que se encontram “dentro” da carroceria, protegidos com uma especie de acrilico, e à peculiar forma de colocar o carro a trabalhar. Sim, é com um botão, mas a chave é uma pen-disk! O carro tem um disco rigido e com a pen-disk podemos fazer updates ao carro, alterar mapas do GPS ou adicionar MP3 para ouvirmos.

Existe um artigo no site TripleZoom sobre o Mazda Sassou para os interessados.

Fifth Gear

Aston Martin DB9Começou a série 8 do programa de TV Fifth Gear num formato mais semelhante ao Top Gear, não género talk-show, mas com mais diálogo e outras brincadeiras para puro entretenimento, como no primeiro episódio, descobrir se um piloto automóvel dá um bom piloto de aviões de caça e vice-versa.

No entanto continua a qualidade deste programa, que se destaca como sendo informativo. Basicamente, se queremos saber realmente como se comportam os carros temos que ver o Fifth Gear, se queremos uma hora de entretenimento e ver o Jeremy Clarkson a gozar e a ser gozado enquanto dá umas voltas pela pista, então temos o Top Gear.

Em relação ao DB9, segundo Tiff continua a ser um Aston Martin, grande, com bom aspecto, mas continua a ser inferior a um 911 em pista. Mas claro, não é toda a gente que tem um Aston, muito menos para andar em pista!

Neste primeiro episódio a equipa do Fifth Gear comprou também o banco do Schumi de 2001.

The Fifth Gear offices in Birmingham are home to the most exclusive throne in the world – Michael Schumacher’s race seat from his 2001 Formula 1 Ferrari.

Os próximos episódios prometem!

JGTC / Super GT

Celica GT300Como já devem ter percebido sou um fanático pelo Toyota Celica, principalmente quando modificado. Os kits mais emblemáticos para o Celica são da APR Performance e da Trial, ambos inspirados nas corridas JGTC, onde o mesmo corre na série GT300.

Hoje estive a ver um DVD da Best Motoring Japan intitulado “JGTC – The Ultimate Guide”, e é engraçado as coisas que se descobrem, como um piloto português (André Couto) que conduz um Supra da Denso. Mas primeiro vou explicar no que consiste o JGTC.

As corridas de JGTC são identicas às de BTCC e DTM, ambas usam carros GT, mas com uma diferença, no JGTC os carros são na maioria japoneses e são altamente modificados. Nunca pensaram porque é que os automóveis nipónicos têm tantos acessórios? Pois bem, muitas marcas conhecidas do tuning como a Denso, Mugen, Endless, entre outras, têm as suas equipas de JGTC na classe GT300 ou GT500 (sim, 300cv e 500cv). O chassis de todos os carros é alargado, o motor pode ser trocado e modificado, mas sempre com regras e limites. A regra principal é que o carro tem que ter aprovação da Fia para correr, ou seja, tem de ser um carro de produção que foi autorizado para competição em pista e o motor necessita de ser da mesma marca, não se pode colocar um motor Honda num Nissan.

Neste momento o nome JGTC passou para Super GT, uma vez que estão lá os carros mais rápidos e mais potentes de todas as séries GT. Correm carros como Toyota Supra, Toyota Celica, Nissan 350Z, Honda NSX, Subaru Impreza, Toyota MR-S, Porsche 911 GT3, entre outros. Nesta competição também já participaram carros enigmáticos como o Nissan Silvia ou o Nissan Skyline GT-R.

Para os mais curiosos podem visitar o site do Super GT.

Copyright © 2005 - 2017 Gosto mais de Carros do que Chocolates. Alguns direitos reservados.
gostomaisdecarrosdoquechocolates.com - As opiniões, críticas e pensamentos de um "petrolhead"
Ao navegar neste site está a concordar com os termos legais e de privacidade.