A visualizar apenas posts com a tag ecodriving

Aprender a poupar no combustível é imperativo!

Abastecimento de combustívelMais uma semana de aumentos e desta vez o preço médio de todos os combustíveis bateu um máximo histórico. Gasolina, Gasóleo e GPL Auto estão nos valores mais altos de sempre!

Basta uma visita rápida às estatísticas do Mais Gasolina para vermos o aumento considerável em todos estes combustíveis.

O preço médio por litro da Gasolina SC95 já aumentou este ano 14,4 cêntimos, enquanto que o Gasóleo aumentou 7,6 cêntimos e o GPL Auto 3,7 cêntimos.

Tendo em conta estes novos aumentos, e porque vamos relaxando a nossa maneira de conduzir, é bom relembrar algumas noções de ecodriving que nos ajudam a poupar no combustível.

Relembro então alguns pontos que já foram discutidos anteriormente aqui no blog.

Desligar o carro quando se espera para abastecer

Se estão numa fila para abastecer o vosso carro então desliguem-no. Um carro ao ralenti pode consumir entre 0.5l/h a 1.5l/h. Existe uma razão pela qual os carros modernos trazem tecnologias como o start-stop. Se vão ficar imobilizados mais de 15 a 30 segundos então compensa sempre desligar o carro.

Manter o carro “afinado”

Se o vosso carro tem uma manutenção descuidada então podem estar a gastar combustível desnecessariamente. Pneus com pressão em baixo, um filtro de ar sujo ou umas velas queimadas (no caso de motores a gasolina) podem aumentar o consumo de um carro em 1l/100km.

Ao preço actual da SC95 um aumento destes em 1000km equivale a uma perda de €17!

Praticar uma condução ecológica

Já dei aqui várias dicas sobre como conduzir de forma a poupar combustível. Não travem nas descidas, se tiverem uma subida devem até acelerar para ganhar balanço, caso contrário deixem o carro engatado sem acelerar para o consumo ser 0. E não desengatem o carro nas descidas, além de ser perigoso gastam combustível de forma desnecessária.

Conduzam sempre com atenção ao que se passa à vossa frente para evitarem travagens exageradas e perdas de velocidade. Se mantiverem uma velocidade constante irão poupar combustível e na manutenção do carro.

Evitar percursos curtos

Um motor frio consome mais combustível. Deve-se por isso evitar pequenos percursos, principalmente se apenas vão ao café na rua de cima, não levem o carro. Se a vossa viagem tiver várias paragens devem tentar ir primeiro ao ponto mais longe para o motor ter tempo de aquecer e permitir assim uma queima de combustível mais eficiente.

Abastecer onde é mais barato

Esta é óbvia. Consultem o Mais Gasolina para saberem onde ficam os postos mais baratos e aproveitem os descontos de fim-de-semana ou os descontos ao 3º Domingo de cada mês que têm sido feitos na Galp e Repsol.

Ecodriving: Passagem alternada

Engarrafamento numa rotundaO combustível está novamente em alta, portanto está na altura de relembrar algumas noções de ecodriving. Principalmente no mês de Dezembro, que com dinheiro na conta toda a gente leva o carro para o trabalho e o trânsito aumenta consideravelmente.

O conceito já foi aplicado na saída das portagens da ponte 25 de Abril (ou Salazar, como preferirem) com resultados positivos, e nos cruzamentos onde os condutores aplicam esta regra quando existe trânsito compacto o tempo de espera em fila é menor.

Infelizmente o “ora passas tu, ora passo eu” nem sempre é praticado por alguns condutores. Estes pensam que vão demorar mais se deixarem algum carro se colocar à sua frente, acabando por fazer mais trânsito ao bloquear a passagem de outro condutor e ficando eles próprios prejudicados porque vão gastar mais combustível e tempo ao acelerar e travar bruscamente para impedir a passagem de outros veículos.

Esta é uma forma de praticar ecodriving que não só nos reduz a nós os consumos devido ao menor tempo em espera como aos restantes condutores na mesma fila de trânsito.

Ecodriving: Desligar o carro quando imobilizado

Fila para abastecerApós as subidas “violentas” do preço da gasolina durante o verão de 2008 os consumidores começaram à procura dos postos com o combustível mais barato.

Assim, com o mercado dos combustíveis de hipermercado a subir consideravelmente e com os postos que praticam descontos a terem filas para abastecer, apareceu um novo fenómeno, o de esperar com o carro ligado para abastecer.

Como é de conhecimento geral, um carro ao ralenti consome combustível, os motores mais poupados consomem 0.5l/h, outros chegam a consumir 1.5l/h. É fácil assim perceber que os híbridos e os carros equipados com sistema start-stop conseguem reduções consideráveis nos consumos apenas por desligar o motor quando o carro está imobilizado.

Quem não tem este tipo de sistemas no carro pode optar pela “regra dos 30 segundos”. Foram feitos vários cálculos e na maioria dos utilitários a partir dos 15 segundos já compensa desligar, pois o consumo de combustível ao voltar a ligar o motor é inferior ao consumo do carro se tiver ao ralenti. 30 segundos dá assim uma boa margem para a maioria das viaturas e situações.

O consumo de energia da bateria é quase desprezável. Uma bateria em condições aguenta entre 8 a 10 tentativas falhadas de ignição (sem reposição de carga), e o seu recarregamento é rápido através do alternador.

Apenas em situações de frio extremo com temperaturas negativas é que é aconselhável manter o carro ao ralenti para evitar o congelamento dos fluídos.

Portanto, vamos a poupar (ainda mais) e começar a desligar o carro quando estamos parados para abastecer ou em situações de imobilização prolongada da viatura.

Como calcular os custos do consumo de combustível

Consumo médioCalcular os custos de combustível num automóvel não é nenhuma ciência, mas nem todos os condutores se preocupam com consumos ou sabem fazer estes cálculos de forma correcta. Existe a ideia que um carro gasta sempre o mesmo, ateste-se o depósito com água ou jetfuel, portanto o preço por litro é que conta para a poupança. Errado.

Cada conjunto de viatura, condutor e percurso diário é um caso especifico, e o que se aplica a indivíduo X pode ser o oposto a aplicar a indivíduo Y. Vão sempre existir várias variáveis que alteram o consumo de um automóvel, seja porque o abastecimento foi feito numa bomba diferente, a uma hora diferente ou a temperatura do ar estava diferente.

Cálculos com 100% de exactidão só em laboratório com condições controladas.

Obter o consumo médio

A medida usada em Portugal para consumo é l/100km, que equivale a X litros consumidos a cada 100km percorridos. Para obter este valor de forma precisa deve-se abastecer a viatura até a pistola disparar, colocar o contador parcial a 0 e seguir viagem. Quando voltar a abastecer, abasteça até à pistola disparar e anote os litros colocados e os quilómetros no contador parcial.

Basta agora fazer uma simples conta: (Litros/Quilómetros)*100km = Consumo l/100km

Dividimos os litros colocados pelos quilómetros percorridos e multiplicamos por 100. O valor obtido é a média em l/100km.

Custo por quilómetro

Agora que sabemos o consumo médio, o custo por cada 100 quilómetros pode ser calculado de forma rápida multiplicando o consumo médio pelo preço por litro: Consumo Médio*Preço por litro = Custo Eur/100km

Ficamos assim a saber que para percorrer 100 quilómetros gastamos X Euros.

Desenvolvi uma aplicação de nome Comparador de Consumos que permite efectuar também estes cálculos bastando colocar os valores na opção “Calcular custos de uma viagem”.

Consumos diferentes com combustíveis diferentes

Este é um tema polémico, muita gente jura a pés juntos que todo o combustível vendido em Portugal é igual porque vem todo da mesma refinaria. Existe combustível à venda em Portugal que não é refinado pela Petrogal, principalmente no gasóleo onde existe um défice na produção do mesmo.

Existem diferenças entre vários combustíveis devido aos aditivos que lhes são adicionados, principalmente as linhas de combustíveis “especiais” como os Geforce, Ultimate, Efitec ou Optima.

Se têm nomes “especiais” é porque são melhores e compensam certo? Errado.

Como disse anteriormente, cada caso é especifico. Com as formulas indicadas anteriormente, e rodando pelo menos 2 a 3 depósitos seguidos com o mesmo combustível é possível calcular o custo por quilómetro efectivo e perceber se compensa ou não outro tipo de combustível.

Vamos a um exemplo. Carro X e Y consomem gasóleo, no posto A custa €0.980 e no posto B custa €1.030.

Carro X com combustível do posto A faz uma média de 6.3l/100km e com combustível do posto B 5.9l/100km
O carro X gasta 6.17Eur/100km com A e 6.08Eur/100km com B.
No caso do carro X o combustível mais caro sai mais barato.

Carro Y com combustível do posto A faz uma média de 6.1l/100km e com combustível do posto B 6.0l/100km
O carro Y gasta 5.98Eur/100km com A e 6.18Eur/100km com B.
No caso do carro Y o combustível mais barato permite um custo mais baixo.

Para quê estas contas todas? O computador de bordo faz isso

A maioria dos computadores de bordo têm uma margem de erro, alguns com uma margem de erro superiores a outros. Uma revista nacional testou vários e alguns apontaram erros de 0.7 litros a menos que o consumo real.

 

Como podem ver o custo por litro não equivale directamente a poupança, e é necessário fazer algumas contas que até são simples e permitem realmente reduzir o dinheiro que sai da carteira para despesas com combustível.

Se não tiverem paciência para fazer estas contas podem sempre usar o Spritmonitor bastando para isso inserir os dados que os resultados são apresentados automáticamente.

Estes valores vão ser extremamente úteis para calcular o custo real por litro, uma função que estará brevemente disponível no Mais Gasolina.

Actualizado a 7 de Abril de 2018
Artigo actualizado para incluir um link para a aplicação Comparador de Consumos que permite efectuar estes cálculos de forma automática.

IST falha redondamente, Expresso divulga. Híbridos vs Gasóleo

Toyota PriusNo dia 1 de Novembro o Expresso publicou um artigo do IST com honras de primeira página dizendo que os automóveis a gasóleo vencem híbridos.

Este estudo logo de início me cheirou a esturro porque disseram que testaram vários automóveis, entre eles alguns eléctricos e a hidrogénio! Questionei que carros a hidrogénio foram testados mas fiquei sem resposta, hoje finalmente descobri porquê! Não foi efectuado nenhum teste, foi uma simples simulação com valores totalmente disparatados!

Para tirar estes valores a limpo a comunidade Prius-PT efectou um teste real com duas viaturas, um Prius e um Megane 1.5 DCi de 105cv, bastante económico e semelhante ao Prius em termos de potência, embora o Prius seja mais pesado.

O percurso pela A5, a 90km/h, demorou apenas 37 minutos contra os 50 indicados pelo estudo. Para garantir toda a veracidade dos dados e assim desmentir de forma coerente a simulação do IST todo o percurso foi filmado!

Conclusão, em termos de emissões de CO2, CO, HC e NOx o Prius saiu vencedor, principalmente em termos de HC e NOx em que o Megane poluí 10 vezes mais. De notar que as emissões de HC e NOx contribuem para a criação de chuva ácida, a contanimação de lençois de água e a acidificação dos oceanos, tema que tem vindo a preocupar vários cientistas e ambientalistas por todo o mundo.

Vale a pena ler os dados e os mais cépticos podem perder alguns minutos das suas vidas e assistir aos vários vídeos que mostram os testes a serem efectuados.

E aproveito, apenas para relembrar, que quando se queimamos um litro de cada combustível temos as seguintes emissões:

Gasolina – 2.33Kg CO2
Gasóleo – 2.64Kg CO2
GPL – 1.74Kg CO2

Ecodriving: Velocidade vs Consumo

Velocidade vs ConsumoContinuando com o tema do ecodriving venho agora falar de algo que para a maioria dos automobilistas é inversamente proporcional, falo da velocidade e do consumo de combustível.

O senso comum diz-nos que quanto mais velocidade, mais combustível será necessário para manter o carro em marcha, no entanto esta afirmação não é totalmente correcta. Na realidade é preferível acelerar um pouco ao início para colocar o carro a uma velocidade mais elevada e depois dosear correctamente o acelerador para aproveitar o declive do terreno e ir embalando o carro. Pode custar um pouco olhar para o computador de bordo e ver o consumo instantâneo subir para valores de 20l/100km, mas no final podemos ter um consumo em plano de apenas 5l/100km a 120km/h contra um consumo de 6l/100km a 90km/h.

A razão de uma velocidade superior ser benéfica para os consumos é simples, se numa descida vamos a travar depois o carro não vai ter embalo suficiente para uma subida que se segue por exemplo, o carro acaba por morrer e temos que recorrer à caixa para uma mudança abaixo e isto aumenta o consumo de combustível. Se em vez disso acelerarmos ligeiramente para ganhar algum embalo vamos ter uma margem superior em termos de velocidade para permitir que o carro suba com um consumo mais baixo.

Acima de tudo devemos planear atempadamente o tipo de percurso que se segue à nossa frente, se temos uma subida devemos sempre ganhar velocidade num terreno plano ou com inclinação favorável à direcção da viatura uma vez que o consumo nessa zona é mais baixo, permitindo efectuar a subida calmamente. Em termos de consumo é melhor ir em terreno plano a gastar 8l/100km e a subir 11l/100km do que ir em terreno plano a gastar 4l/100km e depois ser necessário gastar 20l/100km ou mais para fazer uma subida.

Evitar o efeito de onda (ou efeito zero) no trânsito

TrânsitoUltimamente não se fala de outra coisa a não ser o aumento do preço do gasóleo no entanto são poucos os motoristas que mudam os seus hábitos ao volante, e era de pensar que se dantes se borrifavam para o ambiente, agora o aperto na carteira poderia mudar alguns maus hábitos, mas nem por isso.

No entanto, para aqueles que gostam de evoluir, vou partilhar aqui algumas dicas que podem melhorar o trânsito no nosso dia-a-dia, começando pelo efeito de onda ou efeito zero.

Este efeito é sobejamente conhecido por todos nós, não percebem como é que existe trânsito intenso e de repente tudo começa a andar sem problemas? O responsável é esse efeito, explicando de uma forma muito simples, o carro da frente abranda subitamente por alguma razão, o de trás reduz a sua velocidade em 5km/h em relação ao da frente e assim sucessivamente até que um desses carros vai chegar ao zero, fazendo todos os carros parar atrás de si. Uma boa forma de perceber como isto funciona é usando um simulador de tráfego.

E o que é que isto tem a ver com ecodriving ou poupança de combustível? Bom, se numa situação de trânsito circularmos sempre a 10km/h a um ritmo constante vamos contribuir para uma fluidez superior do tráfego do que ao acelerar para os 20km/h e depois ter que travar subitamente. Temos menos emissões e um custo da utilização da viatura inferior, não só em combustível como no desgaste dos travões e da embraiagem.

Outra forma de evitar este efeito é não andar a mudar de faixa porque na outra se circula a uma velocidade superior, ou entrar no espaço reservado para a distância de segurança para passar meia dúzia de carros numa fila.

Com um pequeno esforço é possível melhorar o bem-estar nas estradas portuguesas e até reduzir os gastos em combustível e na manutenção da viatura. Brevemente irei partilhar convosco outras dicas sobre ecodriving.

Copyright © 2005 - 2018 Gosto mais de Carros do que Chocolates. Alguns direitos reservados.
gostomaisdecarrosdoquechocolates.com - As opiniões, críticas e pensamentos de um "petrolhead"
Ao navegar neste site está a concordar com os termos legais e de privacidade.