Um carro antigo não compensa arranjar?

É comum ouvir-se a conversa do “não compensa arranjar” quando um carro chega a um período de manutenção mais dispendioso. Ou porque o valor do arranjo é o valor comercial do carro ou porque é um carro com uma idade avançada e a ideia que fica é que vai começar a dar problemas.

Esta ideia pré-concebida sempre me fez confusão. É claro que se apenas fazemos manutenção correctiva e não preventiva (feita no período de garantia), muitas das peças de desgaste vão chegar ao fim de vida e deixam de funcionar. Podemos considerar isto uma avaria ou apenas falta de manutenção?

Para mim avaria é uma peça ter uma vida útil de 60.000km e antes deste período avariar. Se uma peça faz o dobro da quilometragem e deixar de funcionar não é uma avaria ;)

Opel Astra

Se falarmos num carro de 1990 por exemplo, com 20 anos, que precisa de uma revisão de €500, certamente alguém vai dizer que é asneira investir metade do valor comercial do carro numa manutenção. Mas será que é?

Ninguém vai comprar um carro com 20 anos e uma revisão cara por fazer, portanto vendemos o carro a uma sucata por €50? Ficamos com €550 para comprar um carro usado, e com este valor não vamos comprar algo em bom estado, certamente. Sabemos com o que contar com o carro actual, não sabemos o estado de um carro usado.

Certamente a ideia é trocar por um carro novo, mas vamos comprar um Suzuki Alto ou um Nissan Pixo para substituir provavelmente um carro familiar? E um carro destes tem um valor a rondar os €9000 e os valores da revisão durante o período de garantia não são acessíveis.

Portanto, se uma reparação de €500 num carro em bom estado não compensa, o que compensa afinal? Comprar um usado em mau estado por €550 a precisar de uma revisão de valor igual ou superior ao carro que tínhamos ou gastar €9000 num carro novo que no período de garantia pode ter uma manutenção mais cara?

Comentários a “Um carro antigo não compensa arranjar?”

Simon Says comentou:
02/10/2010 22:44

100% de acordo, desde que o carro em causa tenha bons níveis de segurança… o que é cada vez mais difícil para os carros mais antigos… é que num choque frontal (por exemplo), o maior perigo para os carros mais antigos não são eles próprios, são sim os carros mais recentes!

“Penso” que a quase totalidade dos carros de 99/2000 para cá já não sofrem desse mal, sobretudo os que têm os 4 e 5 estrelas do euroNCAP.

Também me dá pena muitas vezes ver as pessoas a desfazerem-se de certos carros bons com alguns anitos só para “comprarem” (isto é, ficarem a pagar durante longos anos) uma caixa-de-fósforos menos confortável e menos bem equipado só porque gasta menos uns 2 litros aos 100km.

Eduardo comentou:
03/10/2010 11:09

A nível de segurança nem vale a pena comparar. Um carro rijo não é um carro seguro. A partir dessa data já existiam vários carros com ABS, airbags e zonas de absorção de impacto.

Em relação à troca pelos consumos, é típico de quem apenas pensa no valor que paga na bomba. O que interessa é abastecer com menos dinheiro, mesmo que as despesas mensais aumentem com a compra de um automóvel.

Bzidroglio comentou:
21/10/2010 15:50

Sempre comprei carros usados e sempre compensou. Há que comprar barato e com o que se poupa investir no carro. Uma revisão 100% inclui pneus, amortecedores, correias, filtros e mais uma ou outra coisinha. 1000/1500 euros gastos num carro de boa qualidade de construção com uns anos são muito mais bem gastos do que comprar um modelo inferior novo. Dou um exemplo. Prefiro comprar por exemplo 1 BMW 320 i de 99/00, fazer-lhe uma boa revisão, instalar um kit de GPL do que comprar 1 utilitário novo. Problemas todos têm, e os testemunhos andam aí. Não faltam casos de carros novos que passam a vida na oficina. Depois, quem compra um carro por 4 ou 5000 euros, quando o vende ao fim de 2 ou 3 anos, “perde” 1000 ou 2000 euros, o que é diferente de adquirir um carro por 20000 euros e depois valer 7 ou 8 mil na melhor das hipóteses. Mas…cada qual sabe de si. Eu já tive para aí 50 carros usados e não tenho grande razão de queixa…

Simon Says comentou:
14/11/2010 23:17

Já agora, um link excelente sobre esta matéria (em inglês):

http://articles.moneycentral.msn.com/SavingandDebt/SaveonaCar/KeepYourOldClunkerOrBuyANewCar.aspx

“Almost any car can be nursed to 200,000 miles without endangering your life, and even a new engine is cheaper than all but the cheapest used cars. “

Eduardo comentou:
21/11/2010 12:19

Óptimo artigo, não só na questão da reparação de um automóvel mas nalgumas “simulações” interessantes de fazer antes de comprar carro, como retirar o dinheiro que iramos pagar por mês para o crédito deste.

Acho que se mais gente fizesse isto não ficavam com a corda ao pescoço quando compram carro. Mas depois também lá se iam aqueles belos negócios de carros com 1 ano a preços fantásticos. :lol:

Spitfire comentou:
28/04/2012 22:50

Costumo definir avaria como algo que me faz regressar a casa com o carro em cima de um reboque (um pouco à semelhança de “eu não estou perdido enquanto tiver combustível”), tudo o resto são, ou “problemas” ou necessidades de manutenção.

Adicionar um comentário

Quer adicionar uma imagem pessoal ao seu comentário? Registe-se gratuitamente em Gravatar

Adicionar comentário

Copyright © 2005 - 2017 Gosto mais de Carros do que Chocolates. Alguns direitos reservados.
gostomaisdecarrosdoquechocolates.com - As opiniões, críticas e pensamentos de um "petrolhead"
Ao navegar neste site está a concordar com os termos legais e de privacidade.