Uma boa corrida na Malásia

Em Melbourne tivemos uma corrida miserável, um mau presságio sobre o que viria aí neste campeonato de Formula 1. Poucos carros a iniciar a corrida, a Mercedes com 30 segundos de avanço sobre a Ferrari e uma McLaren e uma Red Bull inexistentes.

Felizmente hoje a corrida na Malásia foi mais animada, em muito ajudado pelo Safety Car no inicio da corrida. A McLaren continua com problemas de fiabilidade, mas já conseguiram começar a corrida com dois carros. A Red Bull acabou com ambos os carros atrás da Toro Rosso.

A corrida foi animada com várias ultrapassagens, alguns toques e alguma disputa de lugares, mesmo nos três primeiros.

Mas a surpresa foi o Vettel não ter acabado a corrida em terceiro, ficando a ver o Rosberg e o Hamilton a fugir. Conseguiu sim ganhar a corrida e mesmo o Kimi que teve um inicio de corrida atribulado conseguiu recuperar até ao 4º lugar, mostra que a Ferrari pelo menos com estas condições e este tipo de pista têm um carro competitivo.

Vettel vence na Malásia

Ao contrário do pódio de 2013 com a polémica do Multi-21 e o Rosberg a ser obrigado pela equipa a deixar o Hamilton passar, este ano foi uma festa com uma vitória da Ferrari e do Vettel que no ano passado não ganharam uma única corrida.

Tive pena do Romain, teve algum azar e a penalização na classificação também não ajudou. Ponto positivo para a Marussia que conseguiu colocar um carro em pista até ao fim da corrida. E o Alonso deve estar a pensar porque raio saiu da Ferrari.

Espero que o Schumacher tenha visto esta corrida.

O fim de uma era

Top GearÉ o fim de uma era. Foi hoje anunciado que a BBC não vai renovar o contrato do Jeremy Clarkson e com o contrato do James May e Richard Hammond também a terminar é possível que estes abandonem a BBC.

Acaba assim um bom programa de entretenimento com automóveis, feito por pessoas que gostavam realmente de carros e falavam deles com paixão, não se limitavam a debitar as press releases e usar termos poéticos para parecer bem, como se faz muito por cá.

Espera-se agora que não optem pela reforma e que apareçam com um novo programa na ITV ou na Sky.

Combustíveis Gforce estão a desaparecer de alguns postos Galp

Combustível Galp GforceAlguns postos da Galp estão a deixar de vender combustíveis Gforce, neste caso a gasolina 98 e o gasóleo aditivado.

Já tinha reparado nesta situação nalguns postos da Galp em que as mangueiras são colocadas fora de serviço e os preços deixam de estar afixados.

Ora, em Abril todos os postos vão ser obrigados a comercializar gasolina sem aditivos. A lei que indicava que seriam apenas os postos de abastecimento com mais de 4 ilhas de abastecimento obriga agora a que todos os postos comercializem estes combustíveis.

Tendo a maioria dos postos apenas 4 tanques para a gasolina 95, 98, gasóleo e gasóleo “especial” e com a obrigação de vender gasolina e gasóleo sem aditivos grande maioria dos postos da Galp está a optar por deixar de vender a Gforce 98 e Gforce Diesel.

Ora isto vai contra um pressuposto da lei que indica “Sem prejuízo da livre comercialização de gasolina e gasóleo rodoviários submetidos a processos de aditivação suplementar para além do mínimo necessário ao cumprimento das respetivas especificações, os postos de abastecimento devem também comercializar combustível simples”.

Os fantásticos legisladores que tiveram esta ideia do combustível sem aditivos em todo o lado esqueceram-se que são precisos tanques adicionais para guardar o combustível e ninguém vai fazer obras para vender combustível low-cost porque não compensa. Esta é mais uma lei que apenas vem prejudicar o consumidor, tal como foi a ideia dos placards com os preços nas auto-estradas onde todos os postos das auto-estradas nivelaram para cima os seus preços e praticam exactamente o mesmo preço em todas as áreas de serviço, sejam elas Galp, BP, Repsol ou Cepsa.

Aposto que alguns dos leitores do blog não sabem, mas existem veículos que devem circular apenas com gasolina de 98 octanas. O Honda S2000 é o primeiro exemplo que me vem à cabeça, mas também alguns motores TSI do grupo VW, entre eles o 1.4. Os clássicos e carros antigos que viram a gasolina com chumbo acabar usavam também a gasolina 98.

E alguns motores diesel modernos funcionam melhor com gasóleo das linhas Gforce, Ultimate e afins. Esperemos que a BP, Repsol e Cepsa não vão pelo mesmo caminho e mantenham estes combustíveis à venda ou vamos ter um mais um retrocesso no mercado dos combustíveis.

Jeremy Clarkson suspenso, Top Gear em pausa

Jeremy Clarkson no Top GearCertamente já leram as notícias desde o inicio da semana sobre a suspensão do Jeremy Clarkson por alegadamente ter agredido ou ter tido uma discussão com um dos produtores do programa.

Poupo-vos o discurso repetido e vou directo ao que interessa. Os episódios que faltavam nesta temporada não vão para o ar, e o deste Domingo seria bastante interessante com três carros antigos, Fiat 124 Spider, MGB GT e um Peugeot 304 Cabriolet.

Ora os fãs do programa estão preocupados em deixar de ter Top Gear e a BBC tem uma tarefa difícil nas mãos. É que o Top Gear gera receitas anuais de 50 milhões de libras e quer se goste do Jeremy ou não, ele é a figura central do programa e sem ele não existe programa.

Nos fóruns da BBC alguém fez uma previsão que ao se concretizar será um pesadelo para a BBC. É que tanto a Sky como a ITV iriam adorar ter este trio com um programa. O Jeremy sai da BBC, leva toda a equipa atrás e faz um programa “More Poweeeer” e leva consigo os 350 milhões de fãs do programa.

Isto também é mau para a revista Top Gear que deixa de ter o nome associado ao programa, o que ajuda imenso nas vendas.

Foi entretanto criada uma petição que já tem 800 mil assinaturas e colocou o site change.org inacessível tal o elevado número de acessos dos fãs do Top Gear.

E para não ficarem sem programa para Domingo podem sempre ver a primeira corrida de F1 já este fim de semana na Austrália. Ou se gostarem de jogos e tiverem o Assetto Corsa podem comprar a nova expansão com novos carros e Nordschleife que já dá para distrair.

Porsche 918, Ferrari LaFerrari e McLaren P1

Ainda não é desta que temos o teste entre o LaFerrari, o McLaren P1 e o Porsche 918. Das três marcas apenas a Porsche não colocou entraves em testar os três carros na pista do Top Gear.

A McLaren não quer que o teste seja feito na pista do Top Gear, apesar do carro ter sido desenvolvido lá. Também quer que o carros sejam de produção, que tenham sido vendidos a clientes e não modelos de demonstração ou vindos directamente de fábrica. Chegaram ao ponto de colocar o carro no estúdio, trancado, com dois seguranças para não o levarem para pista.

Já a Ferrari de inicio não queria fazer o comparativo porque não estão interessados em tempos e velocidades máximas, depois já mudaram de ideias e deixam colocar o carro em pista se for um carro vindo directamente de fábrica para o teste. Para evitar o que aconteceu quando testaram o Enzo do Nick Mason, a Ferrari avisou que se pedirem um carro emprestado a pessoa que o comprou será barrada de comprar novos Ferrari de produção limitada.

Daniel Ricciardo a festejar no Top Gear

Ao que indicaram durante este episódio existe uma pessoa no médio oriente que tem os três carros e está disposto a emprestar os três para o teste, mas chama-se Bin Laden, e não queres ter um acidente num destes carros quando o dono se chama Bin Laden.

Parece que afinal quem ganhou o primeiro comparativo foi a Porsche que colocou lá o carro sem medos. Já a Ferrari e principalmente a McLaren parece que têm medo da comparação, mas com esta atitude já ficaram mal na fotografia, bem pior do que se fosse feito o comparativo e viessem em último lugar.

Coisas que me chateiam: Colocar o cinto em andamento

Colocar o cinto de segurançaSe existe um comportamento que não consigo perceber é o acto de colocar o cinto de segurança com o carro em andamento.

É um acto mais demorado porque precisam de conduzir mais devagar para conseguir colocar o cinto e normalmente quem tem este comportamento vai a conduzir com o carro a fugir para a esquerda ou para a direita enquanto colocam o cinto. São um embaraço para o trânsito.

Colocar o cinto de segurança demora menos de 3 segundos, tempo esse mais que perdido enquanto arrancam e tentam colocar o cinto em andamento.

Daniel Ricciardo no Top Gear

Está agora a começar o quarto episódio desta temporada do Top Gear, portanto já é seguro colocar este post.

O Daniel Ricciardo dispensa apresentações, está sempre a sorrir e passou da Toro Rosso para a Red Bull e na época passada teve melhores resultados que Vettel com algumas corridas ganhas.

Ora, o rapaz do sorriso permanente foi ao Top Gear e teve direito ao tempo mais rápido, 1:42.2. O tempo mais rápido pertencia ao Lewis Hamilton, 1:42.9 e de seguida estava o Mark Webber com 1:43.1.

Daniel Ricciardo a festejar no Top Gear

Fiquei contente porque não gosto nada do Hamilton, apesar de ser um bom piloto considero-o o Kanye West da Formula 1.

Copyright © 2005 - 2015 Gosto mais de Carros do que Chocolates. Alguns direitos reservados.
gostomaisdecarrosdoquechocolates.com - As opiniões, críticas e pensamentos de um "petrolhead"
Ao navegar neste site está a concordar com os termos legais e de privacidade.