A factura detalhada nos combustíveis vai ser mais um tiro no pé

Publicado a por Eduardo

A medida foi aprovada em Fevereiro, a partir de dois projectos de lei do PS e CDS, e vai entrar em vigor em Julho. A factura detalhada vai obrigar a descriminar na factura dos combustíveis como é formado o seu preço.

Quem vai pagar esta alteração? É claro que somos nós, tal como o fomos quando começou a ser obrigatório os placares com os preços nas auto-estradas em que o valor aumentou para igual em todos os postos daquele troço.

E o que espera o governo com esta medida? Segundo o deputado do PS, Hugo Costa, "O consumidor fica assim a saber o que é que paga, servindo também para criar pressão sobre os preços". Exacto, fica a saber que do valor total de um litro de gasolina, apenas 33% é para pagar o combustível (extracção, refinação, custos de transporte e a margem do posto), o restante são impostos. E que sem impostos o gasóleo é 2 cêntimos mais caro por litro que a gasolina.

Posto de abastecimento da Shell

O que a ENMC já veio alertar, e com razão, é que os custos adicionais desta medida vão ser imputados aos consumidores. Isto implica alterar a forma como os preços são comunicados pelos fornecedores aos postos de combustível, a forma como estes valores são armazenados em sistema e alterar o software de facturação existente em todos os postos de abastecimento.

Como acréscimo vamos ter um gasto superior de papel para discriminar todos estes valores quando, curiosamente, já existe o site da própria ENMC com essa informação.

Actualmente o combustível tem vindo a subir de forma regular, o preço do barril de petróleo tem também subido e já está perto dos valores de 2014. Mas curiosamente em 2014 num litro de gasolina quase 37% do valor era para pagar o combustível. Agora é 33%, mas não está 4% mais barato.

O combustível está mais caro, mas a culpa é dos impostos. E esta medida vai mostrar que são os impostos que fazem os combustíveis mais caros e nós vamos ter que a pagar também.

Artigos relacionados

Parlamento aprova fim da taxa adicional do ISP
Parlamento aprova fim da taxa adicional do ISP
A proposta que põe fim a esta taxa adicional pode reduzir o valor de imposto cobrado em 6 cêntimos no gasóleo e 4 cêntimos na gasolina.
O estudo da Deco é igual ao litro
O estudo da Deco é igual ao litro
A Deco fez um estudo sobre os combustíveis indicando que são todos iguais, mas o estudo tem falhas e a campanha de marketing que fizeram deita a sua credibilidade por terra.
Combustíveis simples só vieram complicar
Combustíveis simples só vieram complicar
A nova lei dos combustíveis simples não trouxe nenhum beneficio ao consumidor, pelo contrário, reduziu a qualidade do combustível e o preço manteve-se o mesmo.

Comentários

Não existem comentários a este artigo.

Adicionar comentário

Obrigado, o seu comentário encontra-se a aguardar aprovação. Receberá um email quando este for publicado
Existem erros no formulário, por favor reveja os campos assinalados.
O seu email apenas é usado para controlo de Spam e apresentar a sua imagem personalizada através do serviço Gravatar