Coisas que me chateiam: Peões suicidas

Passadeira em formato de lombaExistem coisas nas nossas estradas que me deixam de cabelos em pé, uma dessas coisas são as passadeiras que estão todas a passar a ser pintadas em cima de lombas ou rampas de lançamento. Na “Alta de Lisboa” então é um abuso, até luzes vermelhas têm para sinalizar a rampa de lançamento aos aviadores, perdão, aos automobilistas.

Escusado será dizer que eu nessa zona tive que dar a volta, e felizmente tinha espaço para fazer inversão de marcha, porque o meu carro devidamente homologado pela antiga DGV para circular em Portugal não passa aí! E a história repete-se com muitos outros automóveis, o último caso que presenciei foi já na oficina, um pobre Passat que partiu o carter porque bateu lá.

E onde quero chegar com isto? Bom, ao ler certas barbaridades como esta facilmente percebo as asneiras feitas pelos peões no dia-a-dia. Ao passarem a mensagem de total impunidade do peão sobre as regras do Código da Estrada, uma vez que “o peão tem sempre razão”, é normal que estes se atirem para a passadeira sem olhar.

O peão não tem sempre razão. Os peões devem ser educados, deve-se explicar o conceito de prioridade contra o conceito de condições de segurança. Uma viatura não se imobiliza de um momento para o outro, portanto atravessar sem mais nem menos é por a vida em risco e raciocinem lá, um carro contra um ser humano, quem ganha?

Depois existem atropelamentos, muitas vezes mortais, e a culpa nem é do condutor. São peões que atravessam sem olhar, outros que assim que chegam à passadeira atravessam imediatamente porque “têm prioridade”, outros que vão a falar ao telemóvel ou a ouvir música e nem tomam atenção ao tráfego.

Depois aparecem ideias parvas como estas, onde se fazem passadeiras em lomba quando o correcto seria uma passagem aérea, passadeiras sem iluminação à noite entre outros factores. Eu que tanto conduzo como sou peão tenho noção que, embora existam culpas de ambas as partes, o maior factor para os acidentes nas passadeiras são o próprio planeamento inexistente na colocação de uma passadeira.

Se existe uma paragem de autocarros coloca-se uma passadeira, mesmo que seja no meio de um cruzamento ou numa descida sem visibilidade. Se existem três faixas em cada sentido coloca-se uma passadeira em lomba sem sinalização, mesmo que a velocidade média seja de 70km/h nesse local. Se existe uma rotunda ou um cruzamento coloca-se uma passadeira a cada entrada/saída porque alguém teve essa infeliz ideia e passou a ser moda.

E é aqui que os peões se tornam suicidas, confiam cegamente no sistema e no lema “o peão tem sempre razão” que não param para pensar e não percebem que uma passadeira numa curva sem visibilidade para ambos os sentidos não é um local seguro para atravessar a estrada, até porque em certas autarquias são os funcionários que percebem pouco de segurança que dizem onde ficam as passadeiras.

Não basta parar e olhar bem para os dois lados, é preciso ter senso-comum e capacidade de raciocínio antes de atravessar uma estrada.

Fifth Gear - Hot HatchFiat 500Honda Civic Type-R

Comentários a “Coisas que me chateiam: Peões suicidas”

20/05/2008 11:09

Encontro este tipo de peões todos os dias, e sinceramente são irritantes.

Vejo-os, mesmo quando não estou a conduzir, a meterem-se à passadeira mesmo se estiver um carro a 70cm da dita cuja. Depois admiram-se de levar com eles em cima.

Vale a pena arriscar a levar com o carro em cima, morrer e não ficar cá para contar a história?

Sinceramente, penso que não. E falo na qualidade de peão também.

miguel comentou:
20/05/2008 11:11

Já agora que citou essa foto do Menos Um Carro (devia ter percebido que aquela frase era uma provocação e não era para ser tomada no sentido literal), aproveito para deixar aqui alguns posts que só faria bem aos condutores portugueses ler.

Tratam de como a “culpa” dos peões é tratada em países mais desenvolvidos:

http://menos1carro.blogs.sapo.pt/73238.html
http://menos1carro.blogs.sapo.pt/73697.html
http://menos1carro.blogs.sapo.pt/74425.html
http://menos1carro.blogs.sapo.pt/79443.html

Jorge da Costa comentou:
20/05/2008 13:41

Aqui na zona o melhor é uma passadeira mesmo em cima de uma curva com pouca visiblidade !!! FABULOSOOOO

Carlos Rebelo comentou:
20/05/2008 14:15

Na estrada que circulo diáriamente plantaram uma nova passadeira. Até aqui tudo bem, não fosse o facto de ser uma estrada nacional e sem qualquer iluminação de noite.

Ninguém fiscaliza estas coisas?

Jota comentou:
21/05/2008 23:02

Realmente não posso estar mais de acordo com este post!
Caricato é quando a Camara ou a Junta decide colocar uma passadeira (aqui no burgo há umas assim…) numa descida em curva ou a meio metro de um curzamento movimentado.
Para quem não conheçe as “ratoeiras” é um perigo. Na primeira há inumeras marcas de travagem no chão antes e mesmo já na zebra da passadeira… Na segunda os condutores que vêm o peão param para o deixar passar enquanto que os que querem entrar no cruzamento pensam que lhes dão passagem e avançam… estas situações são surreais. No entanto, …de quem é a culpa!?
ESte tipo de situações só é notado quando algum alto dignatário da Câmara se digna a atravessar a rua nestas passadeiras.
…Infelizmente a Sra. Presidente, que gosta muito de andar a pé quanto tem um cardume de fotografos atrás…, nunca passa ali…!

Jardel comentou:
26/05/2008 12:02

Muito recentemente, a minha namorada passou por uma desta situações. Ela que anda mesmo devagar, (para muitos conductores que vão atras dela, devem-lhe já ter chamado muitos nomes). Foi no centro de Barcelos, uma miuda de 12 anos vinha toda contente a caminhar na valeta num dia de chuva e sem mais nem menos mete-se na passadeira.
A sorte dela é que quem vinha na estrada era a minha namorada, que só lhe deu um toque de nada e desequilibrou, se fosse outra pessoa qualquer não tinha tido essa sorte.
O mal é que a familia da miuda quer quase processa-la porque claro, aqui em portugal, so os conductores tem culpa de tudo.
Certeça que o pai da rapariga ainda não lhe deu um puxao de orelhas e ainda não lhe disse que antes de passar a estrada tem que se olhar para os lados.
Mas como é mais facil punir do que ensinar, vai haver muitos casos como estes e provavelmente com um final mais triste.

Um peão perdeu logo a prioridade a partir do momento em que um carro lhe passou a ferro, e não serviu de nada ter essa prioridade se não estás cá neste mundo para usufruir dela.

Fiquem bem.

Adicionar um comentário

Quer adicionar uma imagem pessoal ao seu comentário? Registe-se gratuitamente em Gravatar

Adicionar comentário

Copyright © 2005 - 2017 Gosto mais de Carros do que Chocolates. Alguns direitos reservados.
gostomaisdecarrosdoquechocolates.com - As opiniões, críticas e pensamentos de um "petrolhead"
Ao navegar neste site está a concordar com os termos legais e de privacidade.