Como é conduzir um Opel Ampera? Análise após 10.000km

Publicado a por Eduardo

O ano passando vendi o Citroën C6 e passei para um Opel Ampera, o qual fui buscar à Holanda. Não é o total oposto, mas quase. É o meu primeiro carro E-REV, plug-in, híbrido ou como o queiram chamar.

Começou com uma viagem da Holanda para Portugal, já fiz várias viagens em território nacional e após 10.000km de uso tenho informação suficiente para partilhar com quem pretende aventurar-se no mundo dos carros plug-in.

Opel Ampera após 10.000km

Antes de mais devo dizer que sou e continuo a ser um petrolhead. Os motores atmosféricos a gasolina continuam-me a fascinar por terem uma utilização agradável, serem silenciosos e com poucas vibrações. A única razão para ter o C6 a gasóleo foi que queria mesmo um C6 e não encontrei nenhum nacional a gasolina. É claro que por outro lado também estou sempre à procura do máximo silencio e conforto dentro de um carro, para mim o ideal era um Wraith ou Ghost para a semana e um GranTurismo para o fim-de-semana.

Mas se queremos silêncio e ausência de vibrações um motor eléctrico é imbatível, e como não tenho ainda dinheiro para a manutenção de um Maserati decidi-me pelo Ampera que é parecido...

O modo de funcionamento do Ampera

O Ampera é um E-REV, ou seja, um carro eléctrico com um extensor de autonomia. A diferença para os restantes híbridos plug-in ou eléctricos com extensor de autonomia é que enquanto existe bateria o motor não liga, circule-se à velocidade máxima ou com o ar condicionado no máximo.

O motor eléctrico tem 150cv, mas acabando a bateria a performance continua igual. Isto é possível porque apesar do motor a gasolina ter apenas 85cv existe sempre uma reserva da bateria que é usada e reposta pelo motor quando são necessários todos os 150cv. Isto quer dizer que mesmo sem bateria a performance continua inalterada.

Esta reserva também é responsável pela durabilidade da bateria neste carro em especifico. No meu caso, modelo de 2012, a bateria tem capacidade de 16 kWh mas apenas 10.4kWh estão disponíveis, ou seja, a bateria nunca é carregada a 100% nem descarregada aos 0%. Regra geral uma bateria tem uma durabilidade superior quando a carga é efectuada entre os 20% e os 80% e o Ampera faz este tipo de gestão de forma conservadora, o que aliado ao controlo térmico da bateria (é arrefecida a água) faça com que existam carros destes com quilometragens elevadas sem terem perdido capacidade da bateria.

Motor e bateria do Ampera

Performance e condução

Não é nenhum pocket rocket nem nada que se pareça. Faz 9 segundos dos 0 aos 100 e está limitado aos 170km/h por causa da caixa de velocidades. O maior problema dos carros eléctricos é o peso, e este pesa mais de 1700kg.

Como contrapartida as baterias estão sempre no piso do carro e numa zona intermédia que permitem ter uma boa distribuição de pesos e um centro de gravidade baixo, o que torna o carro interessante de conduzir. A suspensão tem uma boa afinação em termos dinâmicos mas é bastante confortável. Nada se compara ao C6, é claro, mas para um carro com amortecedores e molas está muito bom.

Autonomia eléctrica

Leram a parte de ser um petrolhead? Bem, também continuo a gostar de conduzir e não tenho paciência para conduzir como outros condutores de carros eléctricos. Continuo a circular a velocidades normais em auto-estrada e em nacional e ando com a pressão dos pneus para conforto e o ar condicionado sempre ligado.

A autonomia depende de vários factores, o maior é o estilo de condução, mas também a temperatura ambiente e a velocidade. Se num carro a gasolina circular a 120km/h permite melhores consumos, já no Ampera em pára-arranca temos mais autonomia. E se num carro a gasolina perder 5km de autonomia por causa do frio não faz grande diferença, num carro com uma autonomia limitada já faz diferença.

No Ampera em auto-estrada a 140km/h posso fazer 45km em modo eléctrico, já em cidade facilmente se chega aos 60km porque se usa menos bateria a velocidades mais baixas e o carro vai regenerando energia que seria perdida em descidas ou a travar. A minha média anda nos 55km em utilização mista com auto-estrada, e o melhor que consegui foram perto de 70km com os últimos 10km feitos em ritmo de passeio. Mas isto sou eu.

A Opel anuncia uma autonomia entre os 40 e 80km, existe quem faça mais, mas em condições favoráveis. Também existe quem faça 3,5l/100km num Prius, mas se consultarmos o Spritmonitor vemos que a média é de 5,2l/100km. É algo a ter em conta, com este ou qualquer outro carro.

Custos em modo eléctrico

A pergunta que mais me fazem é quanto custa carregar um carro eléctrico. O Ampera apesar de ter 10.4kWh úteis não é 100% eficiente a carregar, nenhum carro ou outro equipamento eléctrico o é. Existem sempre perdas e o valor adicional consumido pelo sistema de aquecimento / arrefecimento da bateria. Para um carregamento total da bateria normalmente consome 11.5kW, carregando no horário de vazio tenho o preço de €0.107 por kW (já com IVA), ou seja, €1,23 por carga para fazer cerca de 60km.

Isto dá um custo de aproximadamente 2 cêntimos por quilómetro, 7 cêntimos é o custo por quilómetro de um carro a gasóleo que faça 5l/100km. Para 10.000km são 500 Eur de diferença, se estivesse a pagar a electricidade. Como tratei da importação e a matrícula era do ano a que aderi ao plano de Mobilidade Eléctrica da EDP tenho 10 meses em que me é dado um crédito de 40 Eur em electricidade, adicionando a isso os carregamentos gratuitos na Mobi.e (quando funcionam) até hoje paguei zero de electricidade, só gasolina.

Nestes valores não estou a incluir o valor de aumento de potência ou aluguer do contador porque é o mesmo contador da casa com o mesmo nível de potência. Se se tratar de uma garagem sem electricidade ou num prédio onde o consumo é comum é necessário ter em conta o valor a pagar pela potência contratada.

Consumos a gasolina

Ora mais de 1700kg num 1.4 a gasolina, os consumos vão ser elevados certo? Bem, depende do pé. Na viagem da Holanda para Portugal com velocidades constantes a 140km/h e algumas brincadeiras para testar o limite do carro, aliado a temperaturas perto dos 0º e trânsito caótico para entrar e sair de Paris por causa da neve e da hora de ponta consegui uns fantásticos 7l/100km sempre a gasolina. Para mim fantásticos porque nas mesmas condições o C6 fazia 8.

Já por Portugal e conhecendo o modo de funcionamento do carro os consumos são mais simpáticos e em auto-estrada onde o motor está sempre a funcionar é fácil obter médias de 5.5 l/100km. Este valor apenas a gasolina, já que o carro faz a média em conjunto com os quilómetros em modo eléctrico, daí na primeira foto aparecer uma média de 3.6l/100km. Em cidade com a recuperação de energia e a utilização da bateria a baixas velocidades esse valor é ainda mais baixo.

Conforto e insonorização

O meu maior medo antes de comprar o Ampera era a sua insonorização. Tinha um carro que foi concebido para ser silencioso, com vidros laminados, material insonorizante e por cima ainda tinha aplicado Dynamat. Infelizmente pouca gente fala sobre isto, é certo que o carro é silencioso em termos de ruído de motor, mas ruído de rolamento e vento nada. Um vídeo do Chris Harris compara-o em cidade a ser tão silencioso como um Rolls-Royce e um teste que procurava o carro mais silencioso do mercado colocou-o num respeitável 5º lugar.

Após test-drive a um fiquei convencido, o carro é confortável e silencioso. Quase tão silencioso como o C6 que já tinha levado Dynamat, conforme pude medir, apenas o ruído de rolamento é mais presente e do vento em auto-estrada porque os vidros não ajudam. Mas existiu um grande cuidado em tornar este carro silencioso sem adicionar muito peso.

Veredicto

Como carro único o Ampera é o ideal para mim que me permite circular em modo 100% eléctrico durante a semana e em alguns fins-de-semana. Posso continuar a fazer uma utilização normal e despreocupada do carro com viagens grandes por ter o gerador a gasolina, sem estar dependente da infra-estrutura pública de carregamento.

Em cidade é fantástico, o silencio a bordo e ausência de vibrações fazem-me pensar numa expressão que era muito comum nos tempos do auge do car audio que um carro era o pior sitio para ouvir musica. Já não o é, de certeza.

A performance é aceitável e o carro é divertido de conduzir, apenas não faz barulho em aceleração de um bom motor a gasolina que às vezes sinto falta, mas ouve-se o barulho do motor eléctrico e até é agradável. É um carro sem compromissos, com um custo de utilização estupidamente baixo, melhor só um 100% eléctrico.

Tem-se revelado bastante fiável, mas não é o carro perfeito. Sinto falta dos espelhos exteriores electrocromáticos, dos bancos eléctricos e da fantástica suspensão do C6. O carro não tem chapeleira, apenas um pano com elásticos para tapar a área de carga, mas já comprei uma chapeleira para resolver isso. E a iluminação deixa muito a desejar, não só optaram por colocar lâmpadas de halogéneo mas o próprio farol não é nada eficiente e em estradas nacionais de noite a iluminação é fraca. Isso ou fiquei mal habituado ao C6 e aos seus faróis direccionais.

Os custos então são demais, nalguns meses chego a colocar no máximo 10€ de gasolina. Tendo em conta que nestes últimos meses as subidas têm sido constantes, ajudou-me bastante a reduzir a minha factura mensal no combustível.

Sinceramente não me vejo a voltar atrás e a comprar um carro apenas a gasolina para o dia a dia, só se for mesmo algo especial. Mas lá está, como já escrevi aqui anteriormente, não é a solução para todos, e sem lugar privado para carregar é para esquecer.

Um ano e quase 25.000km percorridos

Actualizo este artigo porque faz um ano que tenho o carro, e partilho convosco estes dados mais por curiosidade.

Percorri 24.223km e gastei 636 litros de gasolina, uma média de 2.6l/100km, menos um litro do que quando coloquei o artigo, apesar de algumas viagens grandes pelo meio a gasolina.

Também bati o meu "recorde" e num dia fiz 97,5 km em modo puramente eléctrico, com uma carga pelo meio e 16 kWh usados. Como alguns pontos de carga passaram a estar operacionais tem permitido nos dias em que ando mais poupar alguma gasolina.

Um facto curioso, apesar de terem sido fabricados poucos Ampera, menos de metade da produção do C6, foram importados tantos que é comum os ir vendo a circular.

E continuo satisfeito com o carro.

Actualizado a 7 de Dezembro de 2018Adicionada informação após um ano de utilização do Ampera

Artigos relacionados

Como importar um Opel Ampera
Como importar um Opel Ampera
Guia com todos os passos para importar um Opel Ampera ou outro veículo plug-in para Portugal. A mesma lógica também se aplica a carros a gasolina e gasóleo.
Carros eléctricos e o preços dos combustíveis
Carros eléctricos e o preços dos combustíveis
Apesar do aumento dos preços dos combustíveis a venda de carros eléctricos está estagnada. A Mitsubishi e a GM suspenderam a produção de novos carros eléctricos
A minha lista de carros: Historial automóvel
A minha lista de carros: Historial automóvel
Começando num 106 XSI, até um 406 Coupé e por fim um C6. A minha lista de carros muito ao estilo do segmento Star in a Reasonably Priced Car do Top Gear.

Comentários

mike
mike
16/06/2018 10:38
Bom dia, é de facto muito detalhada a sua revisão do Ampera, a minha pergunta é se é possível carregar na garagem com tomada "normal" e potencia baixa? O custo de IUC e seguro qual será para um Ampera?
obg. e continuação , cump., Mike C.
Eduardo
16/06/2018 13:55
Mike sim, eu carrego-o a maioria das vezes na garagem numa tomada normal, de 16A. O carregador que vem com o Ampera apenas permite carregar a 6A ou 10A, mas existem carregadores que pode comprar que fazem os 16A.

O próprio carro não carrega a mais de 16A.

O IUC do meu, de 2012, é de 134.98€. O seguro depende se é de terceiros ou danos próprios, o melhor é simular. Pode ver o artigo sobre importar um Ampera que tem lá mais valores indicados.
Amorim
Amorim
28/06/2018 12:00
Eduardo,

Fiquei só com uma duvida relativamente ao "custo". Considerou o aluguer do contador? Ou é o mesmo da casa?
Isto porque numa garagem de um prédio é necessário pedir um contador exclusivo para a viatura.
Obrigado.
Eduardo
30/06/2018 14:42
Amorim realmente nem me lembrei desse detalhe.

O valor que coloquei é apenas o do preço do consumo de electricidade porque no meu caso o contador é o mesmo da casa. Nem pedi aumento de potência porque já tinha 4,6 kVA / 20A que é mais que suficiente para ter uma máquina ligada e o carro a carregar a 10A.

Já actualizei o texto para adicionar essa ressalva.
Bruno
Bruno
07/07/2018 11:27
Olá,
Bom artigo este. Tenho uma questão, quanto tempo demora a carregar para se fazer esses 60 quilómetros em cidade?

Obrigado,
Bruno
Eduardo
08/07/2018 20:36
Bruno para carregar dos 0 aos 100% a 10A que é a potência máxima do carregador que vem com o carro demora aproximadamente 5h 30min.

Se tiver um carregador a 16A demora 3h 30min.
João Barbosa
João Barbosa
14/10/2018 21:00
No meu opel ampera, gastei em 10.000kms, apenas 83l de gasolina.. a minha média é de 0,8l/100.

É o carro indicado ao meu estilo de condução, em que já consegui chegar do Porto a Ponte de Lima, com uma única carga, sem tocar na gasolina.

Espero que continue os abastecimentos gratuitos na rua, pois tenho andado praticamente de graça.
Eduardo
18/10/2018 23:46
João Barbosa muito boa média. Eu vou com 23.000+ km desde que o tenho e já gastei 600 litros, média de 2.6. Está quase a fazer 1 ano.

A viagem da Holanda foi toda a gasolina, excepto os primeiros 50km em eléctrico com temperaturas perto do zero. Já por cá tenho feito algumas viagens maiores e infelizmente bato muitas vezes com o nariz na porta com carregadores fora de serviço e gasto mais gasolina. Pode ser que agora com os PCR pagos a coisa mude, que já vi alguns PCN também a serem reparados.

Ainda assim, nem a GPL tinha custos tão baixos em combustível como tenho agora.

Os carregamentos nos PCN vão continuar gratuitos ao que parece por mais 1 ano.
Vítor
Vítor
02/11/2018 15:41
Boa tarde, agradeço muito a partilha de informação já que também me foi muito útil para recentemente ter ido buscar um para mim à Holanda. O mercado lá é um pouco volátil, bons negócios tão rápido aparecem como desaparecem.
Estou muito contente com o carro mas a solução do pano para cobrir a bagageira não me entra. Pode-me indicar a solução que encontrou para colocar uma chapeleira que corresponda a esta bela máquina?
Eduardo
02/11/2018 18:40
Vitor mandei vir dos estados unidos a Volt Shelf. Ficou mais prático o acesso à bagageira, a instalação não é a mais simples porque é preciso alguns ajustes para ficar alinhada.

Pode dar uma vista de olhos em Reducing noise with the VoltShelf para ver umas fotos da chapeleira.
Tiago
Tiago
27/11/2018 09:52
Olá bom dia Eduardo
para o percurso Lisboa - Palmela (+/-40Km autoestrada) consegue estimar-me se precisaria de reverter para gasolina caso a velocidade se mantenha entre os 100 e os 120Km/h?
obrigado
Eduardo
28/11/2018 22:36
Tiago a autonomia do carro é suficiente para esses 40km.
João Milagre
João Milagre
26/12/2018 18:43
Muito obrigado pelo seu artigo e parabéns pelo blog.

Gostaria de lhe fazer duas perguntas:

Se é fácil fazer a manutenção do carro, na Opel, presumo, e se é muito cara essa mesma manutenção.
(Tenho um Prius e, para além de raramente ter problemas - na verdade, nas minhas mãos ainda não os teve -penso que a manutenção na Toyota é bastante em conta, comparada com a maioria das marcas).

Agradeço a sua atenção.
Eduardo
02/01/2019 23:14
João as revisões a meu ver são caras. Quase 300 Eur para mudar óleo e filtros e controlar níveis é um absurdo, principalmente porque estava habituado a fazer eu a revisão dos meus carros em casa a valores muito mais baixos.

A última revisão (e única que fui eu a pagar) foi superior a 300 Eur. Não mudou óleo porque tinha mudado na revisão anterior quando o comprei, mas mudou o liquido de refrigeração da bateria e a correia da bomba de água.

Em relação a peças, recebi um orçamento de mais de 1200 Eur para substituir uma transmissão, cobram pela transmissão 1054 Eur quando ela é vendida nos Estados Unidos por 150 USD. Com portes e alfândega deve ficar por aproximadamente 250 Eur. Um exagero.

Não sei se no resto é igual, foi uma anotação dada na última revisão, ainda não tive problemas ou reparações com o carro.
Sérgio B
Sérgio B
20/01/2019 21:26
Olá Eduardo, excelente artigo. Obrigado pela partilha, também tenho um a caminho! Para um dos 2 "defeitos" que acho no carro parece-me que encontrou boa solução, a dita VoltShelf parece muito bem. Pode indicar exactamente onde comprou e que preço? Obrigado! Bons Amperes!
Eduardo
20/01/2019 22:08
Sérgio mandei vir da VoltShop. O valor já não sei ao certo, mas com portes e alfândega passou os 300 Eur.

Adicionar comentário

Obrigado, o seu comentário encontra-se a aguardar aprovação. Receberá um email quando este for publicado
Existem erros no formulário, por favor reveja os campos assinalados.
O seu email apenas é usado para controlo de Spam e apresentar a sua imagem personalizada através do serviço Gravatar